Amores Proibidos

Série – Texto em Roteiro

Archive for the ‘Episódio 01’ Category

EPISÓDIO 1 – PILOTO

Posted by amoresproibidos em 13/01/2009

CENA 01 – COPACABANA – EXTERIOR – DIA

[Musica: Bob Sinclair – Love Generation]

Dia ensolarado. É o dia da Parada do Orgulho Gay em Copacabana. Tomada geral da festa, com suas cores e participantes, alguns fantasiados, outros sem camisa, alguns com cartazes contra o preconceito, muitos se beijando calorosamente pela rua. Homens com homens, mulheres com mulheres, idosos e adultos com crianças participando também do evento.

Take de aprox. 3 minutos da festa.

Fusão para:
CENA 02 – COPACABANA – RUA – EXTERIOR – DIA

Numa rua, perto de onde ocorre o evento, estão Antonio e Maria carregando umas sacolas de compras, enquanto caminham em direção ao seu apartamento.

ANTONIO
Não é possível viver num bairro assim, numa cidade como essa! A gente não pode nem simplesmente sair pra fazer compras que nos deparamos com essa orgia em plena rua! Que absurdo!

MARIA
Meu filho, você já deveria ter se acostumado com esse bairro. Há quantos anos moramos em Copacabana?! A Parada Gay já existia aqui antes de virmos morar neste lugar. Então, não ha nada que possamos fazer!

ANTONIO
Tá, é verdade, mas isso não significa que eu tenho que aceitar isso, né? Ou você defende essa pouca vergonha toda?

MARIA
Eu não defendo nada, mas também não estou aqui para julgar. Antonio, todos sabem que em Copacabana tem de tudo! Me estranha você ficar reclamando agora, quando na verdade você foi um dos que mais quis vir morar aqui. Copacabana é um lugar diferente de qualquer outro no Rio. Copa é cosmopolita. Tem turista, tem ambulante, tem travesti, tem gay, tem gente normal como nós… Tem de tudo! Idosos é o que não falta também… Mas ainda assim, eu gosto de morar aqui.

ANTONIO
Tá, concordo que seja um bairro bom de se morar, mas ainda assim somos obrigado a conviver com muitas coisas que não são certas…

Neste momento, Antonio vê um casal de homens de mãos dadas e outro se beijando no meio da rua. Antonio observa, com olhar de reprovação. Maria também observa boquiaberta.

ANTONIO
Que absurdo, meu Deus! Onde vamos parar? Ainda bem que não tenho um filho assim, porque se eu tivesse, eu daria tanta surra, mais tanta surra… que rapidinho ele se consertaria e viraria homem! Duvido que não!

MARIA
Você e seus métodos infalíveis de correção, né, Antonio?! (risos)

ANTONIO
Pois é. Filho comigo não se cria não! Agora você vê… você dá educação, dá tudo do bom e do melhor prum filho, pra ele virar o que? Um veadinho? Não… isso é inaceitável! (pára de falar, lembrando de algo) E falando em filho, cadê o Gabriel pra nos ajudar com essas sacolas de compras?

MARIA
Eu não sei onde ele tá. Saiu dizendo que iria à casa de um amigo da faculdade, mas nem sei das amizades do Gabriel!

ANTONIO

Gabriel, Gabriel… (desconfiado)

Corta imediatamente para a próxima cena .

CENA 03 – COPACABANA – EXTERIOR – DIA

[Música: Bob Sinclair – Love Generation]

Parada Gay rolando e Gabriel assistindo a tudo do calçadão de Copa. Gabriel está de sunga de praia e sem camisa. Nisso, chega Bruno e põe a mão no ombro de Gabriel, que se assusta. Musica diminui.

BRUNO (incrédulo)
Gabriel?! Você aqui?!

Gabriel com cara de assustado e um pouco nervoso.

GABRIEL
Bruno?!

BRUNO
Então, você é gay também?

GABRIEL
Como assim, também? Você é? Eu não sabia…

BRUNO
Não acredito que você nunca tenha percebido! Esses anos todos estudamos juntos e você nunca reparou?!

GABRIEL
Sei lá, cara, não sou de reparar muito essas coisas, não!

BRUNO
Mas, então você também… Quem diria, hein!

GABRIEL
Que eu também o que, cara? Tá maluco?! Eu não sou gay! Eu moro aqui em Copa, a três quarteirões daqui… Acordei cedo e vim pegar uma praia, e tava aqui vendo essa coisa que acontece aqui todos os anos… Infelizmente, nós, que moramos aqui, temos que conviver com isso. No inicio, você até implica. Mas depois você se acostuma… Eu acho engraçado ver esses caras todos aqui e essas garotas também. Mas só olho! Não é a minha praia, não!

Bruno faz cara de desconfiado. Gabriel fica com raiva.

GABRIEL
Eu tô falando serio, Bruno!

BRUNO
Tá bom! Tudo bem! Calma! Não precisa ficar nervoso! Se você diz, eu acredito em você… Você tá me vendo aqui, mas não explana, não! É o nosso segredinho, tá?! Lá na facul ninguém sabe.

GABRIEL
Beleza. Se depender de mim, vai morrer aqui…

BRUNO
Legal ter te encontrado. Eu não sabia que você morava aqui em Copa. Realmente, uma coisa é certa: se você fosse, não estaria aqui na Parada Gay no seu próprio bairro, né? A não ser que você quisesse ser visto por alguém… Porque deve tá cheio de conhecidos seus por aqui, não?

GABRIEL
Isso mesmo. Se eu devesse algo a alguém, não estaria aqui, não acha?

BRUNO
Verdade… Então, vou indo, cara. Foi um prazer te ver aqui.

GABRIEL
Peraí! Você tá… Sozinho?

BRUNO
Não. Tenho uns amigos me esperando no outro posto. Eles já devem tá lá há muito tempo… Por quê?

GABRIEL
Nada não. (sem graça) Curiosidade. Até mais, então.

BRUNO
Até mais!

Bruno sai andando, enquanto Gabriel fica e o observa, com um olhar malicioso e um leve riso no canto da boca.

BRUNO (comenta consigo mesmo)
Gabriel, Gabriel… a quem você quer enganar?

Gabriel, ainda parado, olhando na direção que Bruno foi.

Musica sobe.

Corta para:
CENA 04 – APTO. DE GABRIEL – SALA – INTERIOR – DIA

Antonio e Maria chegam com as sacolas. Letícia ali, vendo televisão.

MARIA
Oi, Letícia! Nem vi você hoje! Como você tá?

LETICIA
Tô ótima, mãe! Acordei ainda agora. Ontem sai e cheguei de manhã. E vocês? Fazendo compras num domingo? Hoje não é dia de ir às compras.

ANTONIO
Como não? Muitos fazem compras no domingo, tanto fazem que é por isso que demoramos tanto lá. O mercado tava lotado. Ainda mais hoje, com esse caos que tá esse bairro…

LETICIA
É, caos está mesmo… E o Gabriel, onde está?

ANTONIO
Esse aí a gente nunca sabe onde anda, né?

Gabriel entra, de bermuda e sem camisa, um pouco sujo de areia.

ANTONIO
Falando nele, ele aparece…

GABRIEL
Oi, pai! Estava falando de mim?

ANTONIO
Só comentando que você não pára em casa.

GABRIEL
Pai, hoje é domingo, tá! Já passo a semana toda estudando por causa da faculdade… Mereço um pouco de diversão, né?

ANTONIO
Tudo bem, meu filho! Só estava comentando… Não está mais aqui quem falou.

MARIA
E a praia, Gabriel? Como tá? Não levou a prancha hoje?

GABRIEL
Não, hoje não. Nada de surf hoje. Só fui à praia pra não perder o costume.

LETICIA
Eu não gosto de ir à praia aos domingos, é muito cheio. Ainda mais hoje com a parada gay, fica mais lotada ainda!

GABRIEL
É verdade, mas eu sou viciado em praia, minha irmã, você já deveria saber… (risos) Vim tomar um banho rápido pra sair de novo.

Gabriel vai pro banheiro. O telefone toca. Letícia atende.

LETICIA
Oi Edu! Tudo bom, meu amor?

MARIA
Ih, Antonio, estamos sobrando aqui… Vambora pro nosso quarto, a gente vê um filme, come alguma coisa, já que as crianças não dão mais atenção pra gente!

ANTONIO É verdade. Estamos ficando velhos já…

Antonio e Maria vão pro quarto. Agora, fusão dos dois conversando.

LETICIA
Então, você está me convidando pra jantar?

EDU
Isso, meu amor! Você aceita?

LETICIA
Claro que eu aceito! Mas por quê? A gente não costuma fazer esse tipo de programa…

EDU
Eu sei, mas é que hoje é um dia especial. Você vai ver… passo ai às nove da noite, tudo bem?

LETICIA
Combinado, então.

EDU
Te amo!

Edu desliga. Letícia, feliz com o telefone ainda na mão.

LETICIA
O que será que o Edu tá aprontando?

Corta para:

CENA 05 – MÉIER – EXTERIOR – DIA

Take de localização.

CENA 06 – CASA DE CRISTIAN – QUARTO CRISTIAN – INTERIOR – DIA

Cristian está só de toalha e sem camisa, cabelos molhados.Pega o telefone sem fio, e disca um numero.

Corta para:

CENA 07 – COPACABANA – EXTERIOR – DIA

Continuação. Gabriel acaba de sair de seu prédio, quando seu celular toca. Vai caminhando em direção à praia. Atende e é Cristian.

Fusão de imagens dos dois conversando.

GABRIEL
Fala, Cristian! Tudo bem?

CRISTIAN
Fala aí Biel! Ta tudo ótimo, cara. Só liguei pra te dá um alô, saber como tu ta…

GABRIEL
Po, cara, ta tudo ótimo. E com você? Já não te vejo há… que? Três semanas?

CRISTIAN
É, mais ou menos… Você vinha aqui sempre e agora sempre inventa uma
desculpa pra não vir.

GABRIEL
Desculpa? Eu? Que nada! Você que começou a namorar e nem dá mais
atenção pros amigos da antiga… Falando nisso, como vai a Juliana?

CRISTIAN
Vai bem. Ela continua com aquele ciúme excessivo dela, né? Mas tenho fé que um dia ela vai melhorar… (escuta atentamente)

Música ao fundo, vindo da Parada Gay. Cristian estranha.

CRISTIAN
Cara, que musica é essa? Que barulheira! Tá numa festa, rave ou algo assim?

GABRIEL
É quase isso… Eu to aqui na parada.

CRISTIAN
Cara, ta louco? E se teus pais te descobrem aí?

GABRIEL
Não vão descobrir! Eu não to fazendo nada. Só to aqui vendo…

CRISTIAN
Ah tá! Você que sabe, mas toma cuidado de qualquer jeito… Se liga, não tá afim de vir aqui pra casa hoje não?! A gente podia pegar um cinema mais tarde. Que tal?

GABRIEL
Pô, cara, mas eu não quero ficar segurando vela não! Você vai tá com a sua namorada e eu lá do lado?

CRISTIAN
Sem namorada, então. Só eu e você.

Gabriel ri.

GABRIEL
Tá bom, vai. Eu juro que se eu não te conhecesse desde criança eu acharia que você tá querendo alguma coisa comigo… (rindo)

CRISTIAN
Que isso, babacão! Sou seu amigo e só quero te ver pô!

GABRIEL
Eu sei disso! Eu falei que se eu não te conhecesse eu pensaria, mas como eu te conheço, não to pensando nada…

CRISTIAN
Acho bom mesmo! Tu sabe que a minha parada é outra… Não sou que nem você… (risos)

GABRIEL
Eu sei que você não é igual a mim. É o preço que eu pago por ter um amigo hétero, né… (debochando) Mas tudo bem. Diz a hora, que eu apareço na tua casa.

CRISTIAN
Passa aqui as seis!

GABRIEL
Combinado, cara! Abração!

Gabriel desliga o celular. Continua observando, atentamente, aos homens que passam. O olhar de Gabriel é de desejo.

CENA 08 – AEROPORTO JFK (NEW YORK) – INTERIOR – DIA

Pedro caminha empurrando um carrinho com três grandes malas. Está sério e pensativo.

LENITA
Pedro! (Off)

Pedro pára, não olhando pra trás. Lenita se aproxima, com lágrimas nos olhos.

PEDRO
O que foi dessa vez, Lenita? O que você faz aqui? Pensei que você tinha me dito que me queria bem longe daqui… Não foi o que você disse ontem quando discutimos? Que
não queria mais me ver nem pintado de ouro na sua frente… pois então, eu vou fazer o que você quer… eu to indo embora! Pra mim, chega! Vou voltar pro Brasil.

LENITA
Não!!! Pelo amor de Deus, fica comigo! Olha, eu sei que as vezes eu me altero, que sou muito ciumenta, eu sei disso tudo… mas só te peço que você me dê mais uma chance.

PEDRO
Mais uma chance, Lenita?! Eu venho te dando chances há quase 20 anos, desde que nos casamos! Não agüento mais, Lenita! Eu não agüento mais essa vida, esse casamento, esse país! Chega! Tá na hora de voltar! E eu já devia ter feito isso há muito tempo…

LENITA
Você tem uma vida aqui! O que você vai fazer com seu trabalho, seus amigos, hein, Pedro? E o John? Ele não conta? Não se importa com o seu filho? Como você acha que ele vai ficar quando souber que você ta indo embora?

PEDRO
Ele já tem 18 anos. Vai entender muito bem.

LENITA
Não, não vai. Você parece que não conhece o filho que tem… Eu te peço, mais uma vez… Não vai embora, Pedro! Não me abandona! Não abandona a sua família! A sua vida é aqui com a gente, em Nova York. (chora) Eu te amo, Pedro! Mais que tudo nessa vida. Por favor, fica!

Pedro encara Lenita, muito sério. Está hesitante. Nisso, Lenita se aproxima dele e o beija.

LENITA
Não vai embora! Não vai! Fica comigo! Eu te amo muito, meu amor! (vai beijando e falando sussurrando) Por fim, Lenita abraça Pedro. Close em Pedro, desanimado.

PEDRO
Mais uma chance, Lenita… Mais uma chance…

CENA 09 – CASA DE CRISTIAN – SALA – INTERIOR – DIA

Telefone toca. Cristian atende. É Juliana. Fusão dos dois conversando.

CRISTIAN
Alô! (pausa) Oi, Ju! (sério)

JULIANA
Oi, meu amor! To te ligando só pra saber como você tá. Você não me retornou, eu tive que ligar de novo…

CRISTIAN
Tá tudo ótimo! (seco)

JULIANA
Eu to com saudades e por isso, queria que você viesse aqui em casa hoje. Programinha caseiro. Que tal?

CRISTIAN
Desculpa, mas não vai dar. Já tenho outro compromisso hoje.

JULIANA
Outro compromisso? E eu posso saber com quem?

CRISTIAN
Não, Juliana! Não pode não! Aliás, você não está em condições de me cobrar nada!

JULIANA
Por que você tá me tratando assim? O que foi que eu te fiz?

CRISTIAN
Juliana, como você quer que eu te trate depois de ontem? Depois do escândalo que você fez só porque eu tava conversando com uma amiga da faculdade…

JULIANA
Tá bom, eu posso ter me alterado, mas acabou! Me perdoa, vai? Não vai acontecer de novo.

CRISTIAN
Jura?

JULIANA
Juro! Pelo amor que eu tenho por você!

CRISTIAN
Então tá! (melhora o humor) Antes que a senhora fique nervosinha…
hoje eu vou sair com o Gabriel.

JULIANA
Com o Gabriel?! Ah, então ta tudo bem! Sem problemas… Do Gabriel eu
não tenho ciúmes não! (risos)

CRISTIAN
Nem deveria ter, né? Tá me estranhando? (risos) Você sabe que eu te amo, né? Mas é que o Gabriel é um amigo muito especial pra mim, você entende, né?

JULIANA
Claro, meu amor! Eu entendo. Manda um beijo pra ele então! Mas de qualquer forma, não custa nada alertar: comporte-se hein!

CRISTIAN
Pode deixar! Me comportarei!

JULIANA
Mas qual é o programa que vocês vão fazer? Se eu puder perguntar, né…

CRISTIAN
Deixa de ser boba! Claro que pode! Vamos pegar um cineminha mesmo. Euia te chamar, mas como ele não quer ficar sozinho entre nós, achei melhor te excluir desse passeio. (risos)

JULIANA
Ah! Mas então pode ir me incluindo! Se o problema é ele ficar sozinho, já está solucionado! Eu levo a Alicia comigo.

CRISTIAN
A Alicia?

JULIANA
Sim, por que não? A Alicia é linda e está solteiraça, totalmente disponível. E pelo que eu sei, o Gabriel também, né?!

CRISTIAN
É. Ele tá solteiro sim… E eles já se conhecem! Vivíamos juntos quando crianças, os três!

JULIANA
Pois então. Que maravilha! Você não acha que é uma boa idéia? E aí nós podemos ficar juntos, mais a vontade, sem se preocupar com eles… o que você acha?

CRISTIAN
Por mim, tudo bem. Mas eu tenho que avisar ao Gabriel, né? Porque ele nem imagina que eu vou levar mais alguém…

JULIANA
Não avisa a ele, não! E o fator surpresa, fica onde?!

CRISTIAN
Ok. Você que sabe…

Anúncios

Posted in Episódio 01 | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »

continuação: EPISÓDIO 1 – PILOTO

Posted by amoresproibidos em 13/01/2009

Fusão para:

CENA 10 – STOCK SHOT – DIA/NOITE

Música sobe: [New Kids On The Block e Ne-Yo – Single]

Anoitecer no Rio de Janeiro.

CENA 11 – COPACABANA – EXTERIOR – NOITE

Edu está encostado em seu carro, na porta do prédio de Letícia, quando ela aparece, deslumbrante. Se beijam.

EDU
Você está linda como sempre!

LETICIA
Edu, assim você me deixa sem graça…

Edu abre a porta do carro para Letícia e depois entra no carro. Dentro do carro:

LETICIA
Aonde vamos?

EDU
Vou te levar no melhor restaurante desta cidade.

LETICIA
Edu, você sabe que eu não faço questão de nada disso…

EDU
Não importa. Hoje é um dia especial. Você merece!

Edu sai com o carro.

CENA 12 – ESTACIONAMENTO/SHOPPING – INTERIOR – NOITE

Gabriel e Cristian saem do carro e vão saindo do estacionamento e entrando no shopping.

GABRIEL
Você sabe qual são os filmes que estão em cartaz? Eu não faço nem idéia…

CRISTIAN
Nem eu, cara. Pra mim, qualquer um tá bom.

GABRIEL
Por mim também. Só quero relaxar, esfriar a mente… Só de pensar que amanhã tenho aula na facul…

CRISTIAN
Mas faculdade cansa mesmo. Ou você achou que ia ser fácil?

GABRIEL
Quer saber mesmo? Eu achava sim! Como eu poderia imaginar que fazendo educação física eu estudaria tanto?! Se eu soubesse disso antes, acho que nem faria…

CRISTIAN
Até parece! Você sempre quis fazer isso. Sempre gostou de esportes…

GABRIEL
É verdade… (lembra) Putz! E ainda pra piorar, ainda vou ter que olhar pra cara do Bruno amanhã, que saco!

CRISTIAN
Quem é Bruno?

GABRIEL
Bruno é um cara lá da facul, da minha turma. Ele me viu hoje na parada e tá desconfiado. Ele é, me contou hoje, mas eu neguei quando ele perguntou de mim…

CRISTIAN
Caramba, cara! Que chato! E você acha que ele pode sair contando pra geral?

GABRIEL
Não sei qual é a dele. Por isso que não falei de mim. Mas ele me pediu segredo em relação a ele, então, pode ser que ele seja confiável…

CRISTIAN
É, pode ser. Mas evita ficar comentando sobre isso com as pessoas. Vai que cai no ouvido dos seus pais! Ou pior: do seu pai! Você é um homem morto, né? Sabe disso!

GABRIEL
Mas eu não fico comentando com ninguém não, Cristian! Você é a única pessoa que sabe de mim. Só confio em você.

CRISTIAN
Que moral, hein, que eu tenho contigo! (risos)

GABRIEL
Mas tem mesmo… (risos) Afinal, fomos criados juntos. Se eu não confiar em você vou confiar em quem?

CRISTIAN
Tá certo… Mas e o coração? Tá com alguém?

GABRIEL
Não, que coração! Comigo não tem essa historia de coração, não… Eu nunca me envolvi de verdade com ninguém… Só aventuras… sexo e nada mais! Não por minha culpa, pelo contrario! O que eu mais quero é ficar sério com algum cara, mas ele ainda não apareceu…

CRISTIAN
Mas vai aparecer…

GABRIEL
Espero.

CRISTIAN
Eu to te perguntando isso porque… a Juliana está nos esperando e ela trouxe a Alicia… a intenção dela é fazer com que vocês dois fiquem juntos…

GABRIEL
Alicia? Mas não era um programinha a dois? (risos)

CRISTIAN
Era. Mas eu contei pra Ju e ela decidiu trazer a Alicia pra te fazer companhia.

GABRIEL
Meu Deus! A Alicia era minha amiga… ela brincava com a gente! Como será que ela tá? Tantos anos que eu não a vejo…

CRISTIAN
Então, tudo bem delas terem vindo?

GABRIEL
Claro, né! Que pergunta! Vou adorar rever a Alicia depois de todos esses anos! Mas oh, não vai rolar nada entre nós, tá! É só amizade!

CRISTIAN
Eu sei disso! Elas é que não sabem… Falando nelas, elas estão bem ali.

Alicia e Juliana estão paradas observando Gabriel e Cristian, que se aproximam.

JULIANA
Olha o Gabriel! Lembra dele?

ALICIA
Lembro sim… Ele tá tão diferente! Mais alto, mais bonito também… Na infância, éramos namorados… sabe, aquelas brincadeiras de criança…

JULIANA
O bom é que vocês não são mais crianças…

Gabriel e Cristian se aproximam das duas, que param de falar.

CRISTIAN Não preciso apresentar ninguém, né…

GABRIEL
Oi, Juliana! (a beija no rosto)

Gabriel vai falar com Alicia e ficamos com eles. Perto dali, Juliana e Cristian se beijam.

GABRIEL
Oi, Alicia! (a beija no rosto também) Você tá diferente! Esse tempo que você passou fora te fez bem…

ALICIA
Que nada! Eu tava em Minas. Fomos eu e minha mãe cuidar da minha vó, que infelizmente, faleceu. Agora, estamos de volta ao bom e velho Rio de Janeiro.

GABRIEL
Poxa, que chato…

ALICIA
Tudo bem, isso já foi superado. Agora, é hora de reconstruir a nossa vida. Mas que bom te ver depois de tantos anos!

GABRIEL
Você tá linda!

ALICIA
Que isso… Você me deixa envergonhada assim!

GABRIEL
Tudo bem, desculpe… não quero deixar ninguém sem graça… (risos) Lembra da minha mãe? Ela ia adorar te ver de novo.

ALICIA
Claro que eu lembro! Dela, da sua irmã Letícia e do seu pai… Como eles estão? Seu pai continua daquele jeito, meio “durão”?!

GABRIEL
Com certeza! Aquele ali não muda…

CRISTIAN
Vamos, gente! Ou iremos perder a sessão…

Corta para:

CENA 13 – RESTAURANTE – INTERIOR – NOITE

Restaurante muito chique e caro. Edu e Lenita terminaram de comer. Um garçom retira os pratos.

EDU
Traga um champagne, por favor! O melhor que vocês tiverem.

GARÇOM
Sim, senhor.

LETICIA
O que você ta aprontando, hein?

EDU
Você já vai ver…

O garçom traz o champagne o abre, servindo o a Letícia e a Edu.

EDU
Antes de brindar, eu queria te dizer o porque que eu te trouxe aqui hoje…

Edu tira do bolso uma caixa negra aveludada e entrega a Letícia, que abre e vê uma aliança de ouro, com uma pedra de diamante. Letícia está quase sem ar de tão perplexa.

LETICIA
Meu Deus! (admirada, boquiaberta) Que lindo, Edu!

EDU
Quer casar comigo, Letícia?

Letícia surpresa, pasma.

LETICIA
Casar?!

EDU
Isso! Casar! Construir uma família juntos, ter nossa casa, nossos filhos… Eu quero passar o resto da minha vida ao seu lado.

LETICIA
Eu não havia pensado nisso… Casar… (um pouco nervosa) Casar?! De véu e grinalda?!

EDU
Sim! Do jeito que tem que ser… com festa e tudo!

Letícia não consegue esconder o nervosismo.

EDU
E então? Você não gostou? Não quer casar comigo?

LETICIA
Quero! Claro que eu quero! (sorri) Mas você me pegou de surpresa, eu nunca esperava que seria isso… Mas quero sim, meu amor! Eu te amo e quero me casar com você, sim!!!

Música. [Banda Eva e Daniela Mercury – Anjo]

Letícia está mais calma e feliz e Edu, radiante. Edu põe a aliança na mão direita de Letícia e ela faz o mesmo com Edu. Depois, brindam e bebem o champagne. Os dois se entreolham, felizes.

Corta para:

CENA 14 – NEW YORK – EXTERIOR – NOITE

Tomada aérea da cidade de New York.

CENA 15 – APTO. DE LENITA – SALA – INTERIOR – NOITE

Lenita e Pedro estão jantando numa mesa grande, ele numa ponta, ela na outra. Silencio por alguns instantes. Lenita pára de comer e o encara. Pedro percebe.

PEDRO
O que foi?

LENITA
Você não está falando nada… Ta tão quieto.

PEDRO
O que você quer que eu fale? Você quer que eu fale? Você realmente quer ouvir? O que você quer ouvir, Lenita? O quanto infeliz eu me sinto…? Nessa casa, nessa cidade… neste país… é isso? O quanto somos infelizes com esse casamento? É isso que você quer ouvir?

LENITA
Não… não é isso que eu quero ouvir… (chora) Eu quero a sua felicidade, Pedro. De verdade. O que eu mais quero é te fazer feliz!

PEDRO
Você quer me fazer feliz realmente?

LENITA
Quero. Claro que eu quero.

PEDRO
Então, vamos embora daqui.

LENITA
Embora? Pra onde, Pedro?

PEDRO
Como pra onde? Pro Brasil, é claro! Lá é o nosso lugar. Lá é o nosso país. Já tá na hora de voltar, não acha?!

LENITA
Pedro, pensa bem! Não se precipite! Quantos anos você não lutou pra chegar aonde você chegou, hein? Você chegou do Brasil e fez a sua vida aqui. Você tem casas, carros, ações aqui… Você fez riqueza aqui, nos Estados Unidos, não foi no Brasil… Pra que voltar? Como você acha que teria sido sua vida, ou melhor, a nossa vida no Brasil? Acha que teríamos o que temos agora? Não, não teríamos nada! Aquilo lá não é lugar pra gente…

PEDRO
Como que não é lugar pra gente? Você ta se esquecendo das suas origens? Você não é norte-americana! Ainda que você insista em se considerar assim, você é uma imigrante como eu, você é latina, como eu, você é brasileira, como eu, quer você aceite isso ou não!

LENITA
Eu sei de tudo isso, não precisa ficar jogando na minha cara. Eu sei muito bem quem eu sou e de onde eu vim… Mas por que então não vamos embora pra outro Estado? Vamos pra costa do Pacifico! Há casas maravilhosas em San Francisco, Seattle… Ou então, vamos pro sul… Atlanta é uma excelente cidade! Podemos recomeçar a nossa vida lá!

PEDRO (grita)
Não, Lenita! Eu vou voltar pro Brasil! E eu to te dando mais uma chance, alias, é a ultima chance pra tentar salvar o nosso casamento. Eu tenho um apartamento no Rio de Janeiro, em Copacabana, e é pra lá que nós vamos!

LENITA
Ok. Eu não vou discutir. Chega! Você sabe o que você está fazendo… E o John? Ele tá no ultimo ano do colégio… podemos esperar até o fim do ano, pelo menos.

PEDRO
Não, Lenita! Começa a arrumar as malas. Depois de amanhã, a gente já ta indo embora.

LENITA
Mas já? Por que tão rápido?

PEDRO
Eu tenho urgência em ser feliz… E eu acho que essa é a nossa oportunidade. Quanto à escola do Pedro, podemos matriculá-lo numa excelente escola lá no Rio, há escolas bilíngües lá.

LENITA
Você acha que o John vai se acostumar com isso assim tão fácil? Ele não é que nem a gente, que viemos pra cá tentar a vida… Ele nasceu aqui, sempre viveu aqui. O máximo que ele conhece é alguns paises da Europa. Ele nem conhece o Brasil!

PEDRO
Então, chegou a hora dele conhecer. Ele não vai ter problema nenhum pra se adaptar… Ele é filho de brasileiros e fala português muito bem. Não vejo impedimentos.
John vem do quarto.

JOHN
Então, estamos de mudança e ninguém me consulta…

LENITA
Não é isso, John. Estamos apenas conversando.

PEDRO
Não, John. Vamos nos mudar sim. Estamos indo pro Rio de Janeiro. Agora, a nossa vida vai ser lá. Diga adeus a New York!

JOHN
Mas por que, pai?

PEDRO
Vai ser melhor pra todos nós.

JOHN
Mas… você não pode fazer isso! Não assim dessa maneira! E os meus amigos? Hein! E tudo o que eu tenho aqui?

PEDRO
John, tudo o que você tem aqui somos nós: seu pai e sua mãe. Você fará novos amigos no Brasil, conhecerá gente nova, você sempre quis conhecer o Rio, lembra?

JOHN
Conhecer é uma coisa. Morar é outra! E se eu não quiser ir?

PEDRO
Você não tem escolha, John! Você vai com a gente e fim de papo!

JOHN
Odeio você! Você sempre querendo controlar a minha vida! Você só sabe estragar e acabar com tudo que eu tenho! Não vejo o dia de me ver longe de você!

John sai, com muita raiva e vai pro seu quarto.

PEDRO
Tá vendo, Lenita! Eu tanto quis ter um filho pra ele me odiar… Não sei o que eu fiz pra merecer isso…

LENITA
Ele não te odeia de verdade. Ele só falou da boca pra fora.

PEDRO
Eu sei que ele não gosta de mim. Só queria um dia entender o porquê…

LENITA
Não fala isso. Ele é seu filho e te ama muito! Ele só tá numa fase de se revoltar com todo o mundo, mas vai passar logo.

PEDRO
Assim eu espero.

LENITA
E sobre o apartamento no Rio, como você vai fazer pra liberá-lo em dois dias?

PEDRO
Não precisa ser liberado porque ele tá fechado, não está alugado. Já ta mobiliado. Nunca foi utilizado, eu o comprei através de um amigo meu, que também comprou um apartamento neste mesmo condomínio. Aliás, vou ligar pra ele, avisando que estou voltando pro Brasil…

Corta para:

CENA 16 – CARRO DE GABRIEL – EXTERIOR – NOITE

Gabriel pára o carro em frente a casa de Alicia.

ALICIA
Obrigada pela carona, Gabriel! Nem precisava!

GABRIEL
Claro que precisava. Eu deixei o Cristian e a Juliana na casa deles. Por que não te deixaria na sua?

ALICIA
Adorei o passeio de hoje.

GABRIEL
Eu também. O filme era muito bom. Temos que repetir esse programinha mais vezes.

ALICIA
Verdade.

GABRIEL
Olha, te espero lá em casa qualquer dia desses, hein!

ALICIA
Ah, tá. Pode deixar! Marca um dia que eu apareço sim… Tchau, Gabriel!

GABRIEL
Tchau, Alicia!

Gabriel a beija no rosto. Alicia sai do carro. Gabriel parte com o carro. Alicia fica na rua, observando o carro se afastar, pensativa.

Música: [Silêncio – NXZero]

Corta para:

CENA 17 – STOCK SHOT – NOITE/DIA

(Alguns dias depois…)

Take do Rio de Janeiro. Dia ensolarado.

Música Diminui.

CENA 18 – FACULDADE – VESTIÁRIO – INTERIOR – DIA

Bruno e Gabriel conversando enquanto tomam banho em compartimentos separados. Vestiário vazio.

BRUNO
Um dia ainda consigo terminar a prova de natação antes de você. O treinador também puxa muito teu saco, porra.

GABRIEL
Os outros meninos desistiram. Você é o único que ainda persiste em disputar comigo. (risos) Mas po, Bruno, você nada muito bem. Cara, tem dias de treinamentos que você chega com um pique que me assusta. Tanto que você já chegou a me ganhar algumas vezes.

BRUNO
Pára, Gabriel. No dia que eu ganhei, você estava virado e ainda estava meio bêbado. O treinador nem percebeu, mas eu sim. Tanto que o treinador fez até cara de assustado, quando eu cheguei com 10 segundos na sua frente.

GABRIEL
Nossa, cara, você percebeu? Meu Deus! Eu estava muito ruim naquele dia.

Os dois saem dos compartimentos enrolados numa toalha.

GABRIEL
E como foi a parada lá? Se divertiu muito?

BRUNO
Aquilo lá é muita loucura. Você não tem noção. Bebi muito também. Muita gente esquisita, putz! Acabou que não fiquei com ninguém e um amigo me levou pra casa de carro.

GABRIEL
Eu fiquei um pouquinho lá e depois fui ao cinema com uns amigos.

Bruno observa, sério, o corpo de Gabriel, que está apenas de cueca.

BRUNO
Cara, sem querer ser inconveniente, mas você tá com um peitoral lindo.

GABRIEL
Que isso cara, ainda falta muita coisa pra ser isso tudo que você está falando. O seu corpo ainda está melhor que o meu.

Gabriel, um pouco tímido e Bruno continua a olhar fixamente o corpo de Gabriel.

BRUNO
Que nada. Ta certo que quando você entrou na faculdade não tinha este corpo, mas tá demais. Isso não parece anabolizante, ou é?

GABRIEL
Que isso? Tá louco? Não uso estas paradas.

Bruno segura o braço de Gabriel com uma das mãos.

BRUNO
Mas tá demais. Nossa, acho melhor eu ir embora. Desculpa, cara!

Música. [On of the boys – Katy Perry]

Gabriel segura Bruno quando ele se afasta. Os dois trocam olhares e se beijam. Música diminui. Entre um beijo e outro:

GABRIEL
Vamos pra outro lugar?

BRUNO
Não, vamos ficar só mais um pouquinho. Deixa eu aproveitar só um pouquinho disso, vai?

Música sobe. [On of the boys – Katy Perry]

Os beijos continuam. Corta rápido para o lado de fora do vestiário. O treinador conversa rapidamente com um outro aluno na porta do vestiário e faz menção de entrar.

CORTA.

FIM DESTE EPISÓDIO

CRÉDITOS FINAIS

Posted in Episódio 01 | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »