Amores Proibidos

Série – Texto em Roteiro

Archive for the ‘Episódio 04’ Category

EPISÓDIO 4 – O PRIMEIRO BEIJO

Posted by amoresproibidos em 03/02/2009

CENA 01 – CASA DE ALICIA – SALA – INTERIOR – DIA

Helena entra com um jornal na mão, lendo-o normalmente, mas de repente, fica nervosa com alguma noticia.

HELENA
Meu Deus! Não pode ser!

Música de suspense. Helena está abalada e senta-se no sofá. Continua lendo. Close na manchete da noticia (que tem também uma foto de Pedro de terno), na qual está escrito: FILHO DO EMPRESÁRIO PEDRO ALBUQUERQUE SOFRE ACIDENTE NO RIO.

HELENA (surpresa)
Pedro?!

Helena continua lendo a notícia boquiaberta. Fusão para:

CENA 02 – APTO. DE PEDRO – SALA – INTERIOR – DIA

Close na mesma noticia da cena anterior. Depois, vemos que é o jornal de Pedro, que está sentado no sofá. Lenita preparando a mesa do café.

PEDRO
Olha aqui, Lenita! O acidente do
John já foi parar nos jornais! Como
eles ficaram sabendo?

LENITA
Ah, Pedro! Eles sempre dão um jeito
de saber, né? Não sabe como é a
imprensa?

PEDRO
Só não entendo o porquê desta
noticia. Que relevância que tem? É
o nosso filho, sim, mas é um
problema pessoal, eles não deviam
publicar esse tipo de coisas…

LENITA
Mas é disso que eles gostam.
Confusão! Escândalo! Essas coisas…

PEDRO
Não gosto da imprensa.

LENITA
Ah, mas você já deveria ter se
acostumado. Você é um dos poucos
brasileiros que fez fortuna nos
Estados Unidos! E do nada você
volta pro Brasil?! É claro que a
imprensa ia ficar sabendo. E eles
virão atrás de você pra saber o
porquê veio.

PEDRO
Não posso nem descansar em paz.

LENITA
Eu te falei que o Brasil não era o
melhor lugar pra gente. Se fossemos
pelo menos para a Grécia, lá
ninguém nos acharia.

PEDRO
Lenita, não vamos começar a falar
disso de novo, né?!

LENITA
Só to comentando. Não tá mais aqui
quem falou.

Lenita já terminou de por a mesa do café.

PEDRO
E o John? Como tá?

LENITA
Tá melhor. Aproveitei que ele
conseguiu dormir um pouco pra vir
em casa tomar um banho e comer
alguma coisa.

PEDRO
É certo dele ter alta hoje?

LENITA
O médico falou que sim. Aliás,
daqui a pouco temos que ir ao
hospital. E vocês? O que
conversaram ontem no quarto?

PEDRO
Ele não te contou?

LENITA
Não quis.

PEDRO
Eu o fiz desistir da ideia de
voltar pra Nova York.

LENITA
Conseguiu?

PEDRO
Consegui.

Pedro se levanta, larga o jornal e senta-se à mesa para tomar café, junto com Lenita.

PEDRO
Lenita, eu quero me dar bem com o
John. Não aguento mais tanta
discussão. Mas ele tem que aprender
a ouvir. Tem que aprender que não
são só as vontades dele que devem
prevalecer sempre.

LENITA
Com o tempo vocês acabam se entendendo.

PEDRO
Tomara, Lenita. Tomara.

Corta para:

CENA 03 – FACULDADE – SALA DE AULA – INTERIOR – DIA

Os alunos estão fazendo prova. Na sala estão: Gabriel, Bruno, Ricardo, Júlio, Lucas, Alex, Carla e Marcela espalhados pela sala, misturados com outros alunos. Bruno e Gabriel acabam de fazer a prova quase que ao mesmo tempo. Se levantam, entregam a prova e saem. Bruno primeiro e Gabriel logo após.

CENA 04 – FACULDADE – CORREDOR – INTERIOR – DIA

Bruno vem andando, quando Gabriel o chama.

GABRIEL
E ai, cara? Como foi na prova?

BRUNO
Mais ou menos. Acho que deu pra
garantir uns sete.

GABRIEL
Ah, então, tá bom! E ai? A gente se
vê hoje à noite na chopada?

BRUNO
Com certeza! Não vou perder essa
chopada de jeito nenhum. Vai todo
mundo da nossa sala. Sem falar na
galera dos outros cursos. E como é
que foi o jantar lá na sua casa?

GABRIEL
Foi legal. O amigo do meu pai não é
como eu pensava. Gostei dele.

BRUNO
Quantos anos?

GABRIEL
Não sei. Mas deve ter uns 38, ou
mais… Se bem que ele tem um filho
de 18. Sei lá, só sei que o cara é
lindo. Parece um deus.

BRUNO
Sério? E você já ficou de olho, né?

GABRIEL
Não! Ele é casado e amigo do meu
pai, nada a ver! Só to comentando mesmo…

BRUNO
Sei.

GABRIEL
É sério. Por que você não acredita?

BRUNO
Da última vez que eu te fiz uma
pergunta, você mentiu. Lá na praia,
no dia da Parada. Por que devo
acreditar agora?

GABRIEL
Ah, mas naquele dia foi diferente.
Você não sabia de mim. Agora você
sabe. Não tenho o porquê mentir pra
você.(pensa um pouco – admite)
Tá… digamos que eu me senti sim
muito atraído por esse cara…

BRUNO
Tá vendo?! (sorri) Mas e então, vai
investir nele?

GABRIEL
Não! Tá louco? Ele é hétero. Tem
mulher, filho. Que isso! Não quero
sofrer! O que eu posso esperar de
um cara casado? Nada! Melhor eu
esquecer essa história…

BRUNO
Esquecer?

GABRIEL
É. Esquecer! É o melhor que eu faço.

BRUNO
Se você tá falando em esquecer, é
porque você já tá afim dele, não acha?
Gabriel olha para Bruno, pensativo.

GABRIEL
Não sei, Bruno. Não sei… Só sei
que desde a última vez que eu o vi,
ele não me sai da cabeça.

Música marca.

CENA 05 – ESCOLA DE DANÇA – SALA DE DANÇA – INTERIOR – DIA

Música [Leona Lewis – Run]

Alicia está em sua aula de Dança Moderna. Há outras pessoas fazendo a aula e uma Professora, que vai mostrando os movimentos. Ficamos com Alicia, que tem bastante talento. Take de aproximadamente 2 min. Corte de continuidade. A aula acabou. Alicia, cansada e suada, fala algo com a Professora. Há um vidro transparente em uma das paredes da sala de dança, que permite que pessoas assistam às aulas de dança do lado de fora da sala. Do outro lado do vidro (na parte de fora), está Juliana, aguardando. Alicia, se vira e, finalmente, vê Juliana. Alicia sai da sala.

ALICIA
Oi, Ju! Tá muito tempo me esperando?

JULIANA
Não. Cheguei há uns dez minutinhos.

ALICIA
E ai? Já almoçou? Quer comer alguma coisa?

JULIANA
Comer não. Mas aceito um suco.

ALICIA
Vamos, então.

Corta rápido para:

CENA 06 – ESCOLA DE DANÇA – LANCHONETE – EXTERIOR – DIA

Alicia e Juliana, sentadas numa mesinha da lanchonete, bebendo suco de morango e laranja, respectivamente.

ALICIA
E então, amiga? Que conta de novo?

JULIANA
Eu e o Cristian… finalmente…
(vergonha) Ah! Você sabe…

ALICIA
O que?! Rolou? (ri) Finalmente!
Pensei que não fosse acontecer
nunca! Mas o que te fez mudar de
ideia? Você não falou que vocês só
transariam depois de seis meses de namoro?!

JULIANA
Mas eu nem esperava. A mãe dele
saiu ontem à noite e ele me ligou.
Falou pra eu ir pra casa dele. Nem
desconfiava. Quando cheguei lá,
aconteceu. Foi tudo muito rápido.
Quando eu vi, já tava lá… E aí,
não tinha como mais desistir…

ALICIA
Mas e aí? Gostou?

JULIANA
Muito!

ALICIA (debochando)
Muito, é?!

JULIANA (maliciosa)
Se eu soubesse já
tínhamos transado antes. (muda
de tom) Mas é que não dá pra
ir pra cama com todos os
namorados assim de cara! A
gente tem que se conhecer bem
primeiro. Pelo menos, comigo é
assim. Tem homem que só quer
isso, Alicia!

ALICIA
E eu não sei? Mas você fez bem em
esperar mais um pouco… Agora vai
rolar sempre. Você vai ver como o
namoro de vocês vai dar um gás.
Além do mais, você já tava
enrolando o garoto há mó tempão,
né? Ele devia tá louco, já!

JULIANA
E como tava… (risos – maliciosa)

Continuam conversando.

Corta para:

Anúncios

Posted in Episódio 04 | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »

continuação: EPISÓDIO 4 – O PRIMEIRO BEIJO

Posted by amoresproibidos em 03/02/2009

CENA 07 – CASA DE CRISTIAN – SALA – INTERIOR – DIA

Tocam a campanhia. Beth atende a porta e é Helena, com um jornal na mão.

HELENA
Oi, Beth! Tá muito ocupada?

BETH
To dando uma geral lá no meu
quarto. Mas entra!

Helena entra. Está nervosa. Beth percebe.

BETH
Que foi, Helena? Você tá bem?

HELENA
Eu acabei de ler neste jornal que o
Pedro está de volta ao Brasil.
(abalada) Como você queria que eu tivesse?

BETH
Pedro? Que Pedro?

HELENA
Como que Pedro? O homem que me
deixou há 18 anos. O homem que foi
embora pros Estados Unidos e que me
deixou aqui… (se acalma) Eu nunca
esqueci o Pedro. Nem um minuto. Nem
enquanto estive casada. E agora,
ele volta. (pausa – pensativa) Será
que é o destino, Beth? Que quer que
a gente fique juntos novamente?

BETH
Ai, amiga. Não sei. É complicado.
Primeiro você tem que procurar
saber o porquê dele ter voltado.
Ele não é casado?

HELENA
É casado e tem um filho. Mas o que
você acha que eu devo fazer? Devo
procurá-lo?

BETH
Acho que sim. Mas só toma cuidado,
Helena. Vocês não são mais dois
jovens adolescentes. Você pode se machucar.

HELENA
Eu sei, Beth. Mas é que… Eu
esperei tantos anos pra poder rever
o Pedro. Acho que é o momento. Não
vou sofrer. E eu também não quero

nada com ele. Só quero ver ele
novamente. Falar com ele mais uma
vez. (desanima) Acho que ele nem
deve se lembrar de mim.

BETH
Como que não se lembra? Duvido que
ele tenha te esquecido! Helena,
você não é mulher de se esquecer,
não! Tá aí linda como sempre!
Parece até irmã mais velha da
própria filha! E se ele tiver
esquecido, vai se lembrar rapidinho
quando te ver!

HELENA
Você acha? (insegura)

BETH
Claro que sim. Mas me conta, como
você vai fazer pra encontrar ele?

Helena observa a reportagem no jornal, com a foto de Pedro.

HELENA
Aqui no jornal tá dizendo o
hospital que o filho dele tá. Vou
fazer uma visita.

BETH
Mas você vai ao hospital? Lá não é
um bom lugar pra você reencontrar o
Pedro. Não acho uma boa idéia.

HELENA
Mas é o único jeito! Depois que o
filho dele sair do hospital, como
vou encontrar o Pedro? Eu nem sei
onde ele tá hospedado nem quanto
tempo vai ficar no Rio. Eu sei que
não é o momento ideal. Mas eu
preciso tentar. Preciso reencontrar
o homem que eu amei a minha vida toda.
Close em Helena, determinada. Música marca.

Corta para:

CENA 08 – FACULDADE – PATIO – EXTERIOR – DIA

Bruno e Gabriel conversando.

BRUNO
Combinado, Gabriel! Nem adianta
recusar o meu convite!

GABRIEL
Não sei se eu vou. Você vai me
deixar sozinho lá dentro, que eu sei.

BRUNO
Você acha que você vai ficar
sozinho? Claro que não! Você,
bonito desse jeito, só fica sozinho
se quiser… E eu não vou pegar
ninguém, não. Só vou pra dançar mesmo.

GABRIEL
Até parece! Mas tá bom… Eu vou
contigo nessa boate que você tá
querendo me levar. Mas se eu
gostar, você vai tá ferrado, porque
eu vou querer ir sempre, hein!

Bruno sorri, ia falar algo, quando chegam Ricardo e Júlio.

RICARDO
Fala ae! Vai querer ir sempre
aonde, hein, Gabriel? Tá combinando
alguma coisa sem me chamar? Que
coisa feia!

GABRIEL
Não é nada demais. Estávamos
comentando que se eu gostar dessa
chopada que vai ter hoje, eu não
vou querer outra vida.

RICARDO
Tenho certeza que você vai gostar.
Bebida de graça e muita mulher
gostosa. Que mais que uma pessoa
pode querer nessa vida?

Bruno olha para Gabriel, discretamente, com um leve sorriso. Ricardo não percebe.

JULIO
Vai ser legal essa chopada. Mas eu
e o Ricardo viemos aqui, na
verdade, pra falar com vocês sobre
outra coisa.

GABRIEL
Sobre o quê?

JULIO
É que a gente tá com uma vaga no
nosso apartamento e a gente queria
saber se algum de vocês teria o
interesse em dividir o ap com a gente.

RICARDO
A gente primeiro tá falando com os
amigos e conhecidos. Se não houver
jeito, a gente põe anuncio pela
faculdade toda. O que vocês acham?

GABRIEL
No momento, pra mim não dá. Eu to
morando com meus pais e eu moro
mais ou menos perto da facul. Acho
que seria uma boa pra quem mora
mais longe.

JULIO
É. Pode ser.

RICARDO
Se vocês souberem de alguém que
esteja interessado, falem com a
gente, ok?!

BRUNO
Claro. Qualquer coisa eu aviso.

Chegam Alex e Lucas.

ALEX
Fala, galera!

LUCAS
Que provinha mais ridícula! Mais
fácil, impossível!

JULIO
Tava fácil mesmo! Você também achou
fácil, Ricardo? Ricardo?

Neste momento, vemos que Ricardo está distraído olhando em outra direção e que por isso, não responde ao que lhe perguntam. Todos que ali estão (Ricardo, Júlio, Alex, Lucas, Gabriel e Bruno) olham na direção que Ricardo já estava olhando. Vemos que ele está olhando para Marcela, que vem caminhando, toda sensual e provocativa pelo extenso pátio da faculdade. Música acompanha o desfile de Marcela. Ao longo do pátio, todos os garotos param para olhar quando ela passa. Cochicham entre si, falam coisas para Marcela que não ouvimos, mas dá para entender que são cantadas. Ela ignora todos os garotos e continua caminhando. As garotas que passam por ela, ao contrário, a olham com desdém, com cara de que odeiam aquela que atrai todos os olhares. Ricardo continua, fascinado, observando Marcela.

RICARDO
Essa garota tá me tirando do sério.
Hoje ela vai ser minha! (observa) Gostosa!

Marcela não ouve. Passa por eles, dá um tchauzinho e segue seu caminho. Close em Ricardo, que continua olhando na direção que Marcela foi.

Corta para:

CENA 09 – HOSPITAL PARTICULAR – QUARTO – INTERIOR – DIA

Médico e John conversando. John parece bem melhor, embora ainda esteja um pouco debilitado.

JOHN
Então, doutor? Eu vou ter alta hoje?

MEDICO
Vai sim, meu rapaz! Você vai sair
daqui a pouco. Alias, tenho que
confessar que um caso como o seu
não é fácil de acontecer.

JOHN
Como assim, doutor?

MEDICO
Você tem noção do acidente que você
sofreu? Você poderia ter morrido na
hora! Ali mesmo dentro do carro,
que poderia até ter explodido. Você
também poderia ter sido atirado pra
fora do carro se não tivesse usando
o cinto. Ainda bem que você tava
usando o cinto! Mas o que eu quero
dizer é que as consequências
poderiam ter sido piores. Poderia
ter fraturado gravemente alguma
parte do corpo, sem falar no coma.
Você chegou no outro hospital
desacordado, John. E olha pra você!
Tá ai mais forte do que nunca, como
se nada tivesse acontecido! Você só
teve poucas lesões. É um milagre,
John! Você acredita em milagre?

JOHN
Não. (sorri) Não acredito.

MEDICO
Pois deveria! Porque o que
aconteceu com você foi um
verdadeiro milagre. John, alguém lá
em cima quer muito que você viva! E
é por isso que nada grave aconteceu
com você.

JOHN
Será que eu devo mesmo viver? Minha
vida é tão sem graça… (pensa) Mas
obrigado, doutor!

MEDICO
Que isso, John! Não agradeça nada!
Sua mãe tá aí fora. Quer falar contigo.

JOHN
Manda ela entrar, doutor, por favor.

Médico abre a porta e faz sinal para Lenita, que entra. Médico sai.

LENITA
Oi, meu filho! Tá se sentindo melhor?

JOHN
To sim, mãe! Vamos? Preciso voltar
pra casa. Quero sair daqui.

LENITA
Calma. Falta assinar alguns papéis,
burocracia… Seu pai tá cuidando de tudo.

Lenita beija a testa de John e segura na mão dele. Se entreolham, felizes.

Corta para:

CENA 10 – HOSPITAL PARTICULAR – RECEPÇÃO – INTERIOR – DIA

Musica [Corredores – Ana Carolina]

Pedro está conversando com o Médico. Helena chega, caminhando devagar, observando o ambiente e as pessoas, quando de repente, vê Pedro. Fica olhando para ele por alguns segundos. Está insegura, um pouco hesitante. O Médico sai de perto de Pedro. Helena, então, caminha mais um pouco em direção a Pedro, até que decide chamar por ele. Música diminui. Pedro está de costas para Helena.

HELENA
Pedro!

Pedro se vira e dá de cara com Helena.

PEDRO
Helena?!

Ele está surpreso e ela, muito feliz. Se encaram por alguns instantes.

PEDRO
Quanto tempo!

HELENA
Verdade. Muitos anos…

Pedro a abraça e está realmente surpreso.

PEDRO
Você tá linda! Não mudou quase nada!

HELENA
Exagero seu.

PEDRO
Mas o que tá fazendo aqui? Tá com
algum parente internado aqui também?

HELENA
Eu? (sem graça – disfarça) Não.
Quer dizer, sim, é uma vizinha.
Isso. Vizinha minha. Vim fazer uma
visitinha pra ela. E acaba que eu
te encontro!

PEDRO
Coisa de destino. Nunca imaginaria
te encontrar logo aqui no hospital!

HELENA
E você? Pelo visto, tá com algum
parente aqui também, né?!

PEDRO
Meu filho tá aqui. Sofreu um
acidente, mas já vai ter alta.

HELENA
Ai, que bom! Graças a Deus!

PEDRO
Mas e você? Como vai?

HELENA
Bem. Ótima.

PEDRO
Casada? Solteira?

HELENA
Separada. Tenho uma filha. Linda.
Tudo que eu tenho nessa vida.

PEDRO
Eu também só tenho o John.

HELENA
E você? Ta de passeio pelo Rio?

PEDRO
Não. Vim pra ficar.

HELENA
Pra ficar?

PEDRO
Isso. To morando em Copa. Agora
estamos perto, podemos conversar
mais outro dia. Que acha?

HELENA
Acho ótimo.

PEDRO
Me dá seu telefone que eu te ligo.

HELENA
Claro! Anota ai! Me da o seu também!

Outra música [Crystall Ball – Pink]

Lenita aparece caminhando normalmente, ao lado de John (que anda apoiado por uma muleta), conversando com ele inclusive, quando vê Pedro e Helena trocando números de telefone, numa animada conversa paralela (que não ouvimos).

Música pára. Música marca.

Close na mudança de humor de Lenita, que fica visivelmente irritada.

LENITA
Quem é essa?

JOHN
Não sei. Você que tem que saber.
Vai lá e pergunta!

LENITA
É isso que eu vou fazer.

Lenita caminha até onde estão conversando Pedro e Helena.

LENITA
Licença! Pedro, o John já foi liberado.

Pedro olha para John, que está um pouco mais afastado.

PEDRO
Ótimo! (lembra) Lenita, deixa eu te
apresentar. Essa é Helena, uma
grande amiga minha.

Lenita fuzila Helena com o olhar, mas responde educadamente.

LENITA
Muito prazer, Helena! (a cumprimenta com
um aperto de mão) Sou Lenita, esposa do Pedro.

Helena está sem graça.

HELENA
Encantada.

Reina um constrangimento total.

LENITA
Vamos, Pedro? O John tá esperando.

PEDRO
Tenho que ir, Helena. Mas foi ótimo
ter te encontrado. A gente se fala.

HELENA
A gente se fala.

Pedro a beija no rosto. Lenita observa, calada, mas não gosta. Depois, Lenita e Pedro vão para perto de John e se afastam em direção à saída do Hospital. Close em Helena, olhando o papel com o número de telefone de Pedro.

Corta para:

CENA 11 – STOCK SHOT – EXTERIOR – DIA/NOITE

Música [Single – New Kids On The Block and Ne-yo]

Anoitecer no Rio de Janeiro.

CENA 12 – APTO. DE PEDRO – SALA – INTERIOR – NOITE

Há uma mesa de jantar preparada. Tocam a campanhia. Lenita abre a porta e é Gabriel, Leticia, Maria e Antonio.

LENITA
Oi, gente! Entrem!

Todos entram.

LENITA
Fiquem a vontade. E não reparem.

MARIA
Até parece que vamos reparar, Lenita!

LENITA
Hoje é a nossa vez de oferecer o
jantar. É pra comemorar a volta do
John, são e salvo.

ANTONIO
Como ele tá?

LENITA
Tá bem. Mas deitado, a cabeça ainda
dói um pouco. Venham. Ele está no
quarto dele.

LETICIA
Finalmente vamos conhecer o John.

LENITA
Verdade! Com essa confusão, acabou
que vocês não se conheceram ainda.
Nem o Gabriel conheceu o John, né?

GABRIEL
Eu vi ele na maca, mas a gente
ainda não se falou.

LENITA
Vamos lá, então. O John vai adorar
a visita de vocês.

Lenita leva Antonio, Maria e Leticia para o quarto de John. Gabriel fica parado, observando algumas fotos de Pedro, Lenita e John, tiradas nos EUA; que estão na sala em cima de uma estante. Já estão em portas-retrato. Há uma caixa no chão, perto de Gabriel. Lenita volta e encontra Gabriel vendo as fotos.

LENITA
Lindas essas fotos! Não é?

GABRIEL
Lindas mesmo. Deve ser um país incrível!

LENITA
E é realmente! Oh, tem mais foto
nessa caixa que tá ai perto de
você. Pode mexer em tudo. Fica a
vontade. Eu to lá no quarto do
John. Quando quiser, venha.

GABRIEL
Tá legal. Vou ficar aqui vendo
essas fotos e daqui a pouco eu vou.
Eu me amarro em foto. Fico viajando
quando eu vejo.

LENITA
Você é que nem eu, então. Vou lá.

Lenita volta pro quarto de John. Música. Gabriel continua vendo as fotos, admirando todas, mas é claro que gosta mais das fotos que Pedro aparece. Gabriel encontra uma foto de Pedro, sem camisa, numa praia. Fica olhando fixo para a foto.

CENA 13 – APTO. DE PEDRO – QUARTO DE LENITA – BANHEIRO – INTERIOR – NOITE

Pedro está tomando banho. No detalhe, o corpo escultural de Pedro. Está pensativo. FLASHBACK DA CENA 15 DO EPISÓDIO 02: O elevador chega ao térreo, a porta abre e Pedro dá de cara com Gabriel, que está falando no celular. Gabriel desliga o celular. Pedro está paralisado. Se encaram por alguns segundos. Pedro, parece acordar do transe, quando Gabriel fala com ele.

GABRIEL
Ei! Você não vai sair? Aqui já é o térreo.

PEDRO
Ah, tá! (sorri; sem graça) Tava
distraído, nem percebi… Obrigado!

GABRIEL
De nada!

Pedro sai do elevador e Gabriel faz que vai entrar mas não entra e fica observando Pedro. Pedro vai andando, mas pára quando Gabriel o chama.

GABRIEL
Desculpa… mas você tá bem?
Pedro parece estar confuso, meio atordoado.

PEDRO
To… to bem sim… Obrigado pela preocupação.

FIM DESTE FLASHBACK.

Pedro, tomando banho, continua pensativo.

FLASHBACK DA CENA 12 DO EPISÓDIO 03:

PEDRO
E ai? Mudou de ideia?

GABRIEL
Sobre você?

PEDRO
Isso.

GABRIEL
Não sei… Ainda não te conheço o suficiente…

PEDRO
Mas pelo o que você viu… pareço
ser igual aos amigos do seu pai que
você conhece? Pareço ser, como você
disse, chato e arrogante?

GABRIEL
Parecer, não parece! Mas não sei…
Só o tempo vai dizer…

PEDRO
Com o tempo você vai ver que eu não
sou nada disso.

Silêncio. Se entreolham os dois.

GABRIEL
Foi mal pelo que eu disse!

PEDRO
Por que tá se desculpando?

GABRIEL
Eu não devia ter dito o que eu
disse. Mas também, como eu poderia
imaginar que você era o amigo do
meu pai? Logo você…

PEDRO
Logo eu? Por que? Eu não poderia
ser amigo do seu pai?

GABRIEL
Poderia, mas é que, sei lá… Você
é diferente. (o encara – pausa) Dos outros.

Gabriel não consegue disfarçar sua atração por Pedro, mas está um pouco sem graça com a situação.

FIM DESTE FLASHBACK.

Pedro, ainda no banho, parece confuso.

PEDRO
Não pode ser! Não pode ser isso!
Não é possível! (fazendo movimento
de negação com a cabeça)

Pedro enfia a cabeça debaixo da água e fica ali imóvel.

Posted in Episódio 04 | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »

continuação: EPISÓDIO 4 – O PRIMEIRO BEIJO

Posted by amoresproibidos em 03/02/2009

CENA 14 – APTO. DE PEDRO – SALA/CORREDOR – INTERIOR – NOITE

Gabriel guarda as fotos na tal caixa e vai andando em direção ao quarto de John, que está com a porta fechada. Ouve-se uma conversa animada lá dentro. Gabriel faz que vai entrar, mas não entra pois observa a porta de outro quarto aberta (que é o Quarto de Lenita). Caminha até a porta do quarto e escuta um barulho de chuveiro ligado. Entra no quarto.

CENA 15 – APTO. DE PEDRO – QUARTO DE LENITA – INTERIOR – NOITE

Música [All We Are – OneRepublic]

Gabriel está no quarto e observa todo ele. Vê umas roupas de Pedro em cima da cama e olha pro banheiro, que está entreaberto. Já percebeu que é Pedro quem está no banho e está hesitante. Quer entrar no banheiro e fazer uma loucura mas também tem medo. Não sabe se sai do quarto ou se fica. O ruído de chuveiro aberto cessa. Gabriel mais hesitante do que nunca. Decide finalmente sair do quarto, quando Pedro abre a porta do banheiro, enrolado na toalha.

PEDRO
Gabriel?

Gabriel encara Pedro, sem graça. Pedro, surpreso, se aproxima de Gabriel.

PEDRO
O que você tá fazendo aqui?

GABRIEL
Nada. Eu nem devia tá aqui. Foi mal.

Gabriel ia sair, mas Pedro segura Gabriel pelo braço. Se entreolham. Estão muito próximos.

PEDRO
Pode ficar aqui. Não precisa sair.

GABRIEL
Não. Acho melhor eu esperar na
sala. Eu nem devia tá aqui.

PEDRO
Fica aqui! Que tem demais? Já me
arrumo. É rápido.

GABRIEL
Tá, eu espero.

Gabriel está muito sem graça. Pedro vai até o armário e pega uma cueca estilo boxer numa gaveta. Tira a toalha e a joga na cama, ficando nu, de frente para Gabriel. Gabriel, rapidamente, desvia o olhar. Pedro percebe.

PEDRO
Pode olhar, Gabriel! Nós temos as
mesmas coisas. Entre homens, não há pudores.

Gabriel encara Pedro, ainda sem graça. Pedro, ainda nu, se aproxima de Gabriel.

PEDRO
Você tá bem? Parece tenso… Preocupado…
Aconteceu alguma coisa?

GABRIEL
Não. Não aconteceu nada.

Pedro olha fixo nos olhos de Gabriel. Estão muito próximos novamente.

PEDRO
Do que você tem medo, Gabriel?
Gabriel não responde, está quase beijando Pedro.

PEDRO
Engraçado! Eu tava pensando em você
quando tava tomando banho. E do
nada, saio do chuveiro e encontro
você no meu quarto…

GABRIEL
Quem foi que disse que eu to com medo?

Gabriel beija Pedro. É um beijo bem selvagem, como se um quisesse devorar o outro.

Corta para:

CENA 16 – APTO. DE PEDRO – QUARTO DE JOHN – INTERIOR – NOITE

John está sentado na cama. Está feliz e sendo muito simpático com Maria e Antonio. Mas não tira o olho de Leticia. Lenita também está perto de John.

JOHN
Mas muito obrigado pela visita de
vocês! Realmente eu não esperava
ter vizinhos tão gente boa. Lá em
Nova York é diferente. As pessoas
são mais frias. Não se preocupam
muito com os outros. Claro que nem
todas. Mas a maioria.

MARIA
Ah, mas aqui é diferente. A gente
se ajuda sempre. Você pode contar
com a gente pra tudo! Ouviu?

ANTONIO
Com certeza! Mas garoto, você deu
um susto nos seus pais, hein!

LENITA
Mas não vai acontecer de novo, né,
John?! Já estamos conversados!

JOHN
É. (ri) Eu dou um pouco de
trabalho. Mas já que tenho que
morar aqui, quero agora me
recuperar pra poder curtir e
conhecer melhor o Rio.

LETICIA

Você vai amar o Rio, John. Você vai ver só!

JOHN
Já estou amando. (olhando fixo p/ Leticia)

Leticia percebe o flerte de John, mas só ela.

MARIA
Falta você conhecer o meu filho,
Gabriel. Ele pode te mostrar a
cidade depois.

JOHN
Todo mundo tá falando nesse Gabriel
mas eu ainda não encontrei ele.

LENITA
Ele veio. Tá lá na sala vendo umas
fotos nossas.

MARIA
Gabriel sempre gostou de foto. De
ver e de tirar. Que garoto fotogênico!

JOHN
Mas eu prefiro que a Leticia me
leve pra conhecer a cidade…

MARIA
É uma boa idéia.

ANTONIO
Mas John, ai você vai ter que falar
com o Edu pra ver se ele deixa…

LETICIA
Pra ver se deixa? (ri) Até parece!
Ele não me manda, não! Eu é que sei!

JOHN
Quem é Edu?

LETICIA
É o meu noivo. Mas podemos marcar
um dia e vamos todos visitar alguns
pontos turísticos.

JOHN
Pode ser.

John não tira o olho de Leticia. Leticia, por sua vez, está desconcertada com John, mas no fundo gosta dele. Continuam conversando.

Corta para:

CENA 17 – APTO. DE PEDRO – QUARTO DE LENITA – INTERIOR – NOITE

Musica [all we are – OneRepublic]

Pedro e Gabriel se beijando. Beijos selvagens. Estão encostados na porta (Gabriel está de costas para a porta). Gabriel passa a mão pelo corpo de Pedro, enquanto vai beijando-o. Pedro só beija. Uma mão está na porta e a outra na parte de trás da cabeça de Gabriel. De repente, Pedro pára de beijá-lo e se afasta. Pedro está sem ar, respirando fundo. Música pára!

GABRIEL
O que foi?

PEDRO
Isso não tá certo.

GABRIEL
Não gostou?

Pedro pensa. Agora, é ele quem está sem graça.

PEDRO
Não sei…

Pedro veste a cueca que já tinha pegado e vai pondo a calça que já estava separada em cima da cama. Vai fazendo isso, rapidamente. Silêncio. Gabriel continua encostado na porta, vendo Pedro se vestir. Pedro está sem graça e não consegue mais olhar para Gabriel. Está um pouco suado, de nervosismo. Gabriel se aproxima de Pedro.

GABRIEL
Olha pra mim!

Pedro olha para Gabriel, mas sempre querendo desviar o olhar.

GABRIEL
Se arruma com calma. Eu to indo embora.

Pedro baixa a cabeça. Ainda não está totalmente vestido. Está imóvel. Silêncio. Gabriel espera que Pedro diga algo, mas ele não diz nada. Gabriel sai do quarto. Pedro desaba na cama, com as mãos no rosto. Parece arrependido. A mesma música reinicia!

PEDRO
O que foi que eu fiz? (horrizado consigo mesmo)
Close em Pedro, preocupado. Música marca.

Corta para:

CENA 18 – APTO. DE PEDRO – SALA – INTERIOR – NOITE

Lenita, John, Antonio, Maria e Leticia chegam na sala, onde há uma mesa de jantar montada.

LENITA
Sentem-se! Já vou servir o jantar!
(observa) Ué! Cadê o Gabriel? Eu
deixei ele aqui na sala vendo umas fotos!

JOHN
Será que ele foi embora?

ANTONIO
É bem provável. Ele vive saindo.
Alguém deve ter ligado pra ele e
ele saiu.

LETICIA
É que hoje ele tem uma festa pra
ir. É uma chopada da faculdade.

MARIA
Tá, mas sair assim, do nada, sem
dar satisfações? Que falta de
educação! Desculpa, Lenita! O
Gabriel não é assim…

LENITA
Tudo bem, eu entendo. Os jovens são
assim mesmo. Fazem o que têm
vontade. Sem problemas! Vou lá
dentro chamar o Pedro.

Lenita vai pro seu quarto.

JOHN
Acabou que eu não conheci esse tal
de Gabriel ainda!

LETICIA
Verdade. Mas não vai faltar é
oportunidade de vocês se
conhecerem.

Close em John, que olha fixo para Leticia.

JOHN
Tenho certeza que não…

Corta para:

CENA 19 – CONDOMINIO COPA – ELEVADOR/PORTARIA – INTERIOR – NOITE

Dentro do elevador, Gabriel bate com a cabeça na parede.

GABRIEL
Você faz tudo errado, Gabriel! Tudo errado!

O elevador chega no térreo e Gabriel sai. Na portaria, encontra Cristian, que chega neste momento.

GABRIEL
Cristian?

Gabriel abraça Cristian.

CRISTIAN
Como você tá, meu amigo?

GABRIEL
Ta tudo indo. E ai, o que manda?

CRISTIAN
Ué! Você esqueceu que você tinha
marcado comigo da gente ir junto
pra chopada?

Gabriel põe a mão na cabeça.

GABRIEL
Putz, cara! Foi mal! Eu tinha
esquecido! Caramba, onde anda a
minha cabeça?!

CRISTIAN
Eu é que te pergunto isso! (o
observa) O que foi, Gabriel?
Aconteceu alguma coisa. Te conheço.
Fala. O que foi?

GABRIEL
Eu fiz uma loucura. Você não vai
acreditar! Vambora que eu te conto
no carro.

Corta para:

CENA 20 – CASA DE ALICIA – SALA – INTERIOR – NOITE

Beth entra, apressada. Helena, feliz.

BETH
E então, Helena? Como é que foi lá?

HELENA
Vou te contar rapidinho. Que a
Alicia tá no banho.

Helena mostra o papel a Beth, sorrindo. (Parece uma adolescente). Beth olha o papel e está incrédula.

BETH
Ele te deu o telefone dele?

HELENA
Exatamente.

BETH
Mas ele não é casado?

HELENA
É sim. Até conheci a mulher dele. É
uma mal-encarada. Ficou revoltada
por eu estar ali conversando com o
Pedro. Mas ele me apresentou a ela.
Sabe como?

BETH
Como?

HELENA
Como uma amiga. Uma grande amiga.
Você não sabe como eu fiquei na
hora! Me deu um pouco de raiva, sabe?

BETH
Mas também, o que você queria que
ele dissesse a esposa dele? Que
você é um amor do passado que
reapareceu do nada? Ele fez a coisa
certa! Foi discreto.

HELENA
Eu entendo, Beth. Mas, “amiga”?
Isso é demais pra mim. Nós fomos
muito mais do que amigos! Você sabe
o quanto eu amei esse homem!

BETH
Amou? Ou ainda ama?

Alicia vem do banheiro, de cabelos molhados, mas não é percebida. Fica ouvindo a conversa. Helena, um pouco confusa, pensativa.

HELENA
Não sei, Beth. Sinceramente não sei
se ainda amo o Pedro. Ou se isso é
um sentimento de amor
não-realizado, sabe?! Não sei.
Tenho duvidas. A gente poderia ter
casado, ter tido filhos. A gente
poderia ter sido muito feliz. Mas
ele viajou. Me largou e viajou.
Como teria sido se fosse diferente?
Acho que essa é a pergunta que me
assombra. Aí, ele viaja, enriquece,
casa e tem um filho. E eu? O que eu
tenho? O que a vida me deu?

BETH
A vida te deu uma filha linda.

HELENA
Claro! A Alicia é a melhor que já
me aconteceu nessa vida! Mas e o
amor, Beth? Eu não conheci o amor.

BETH
Você não amava o pai da Alicia?

HELENA
Um pouco. Muito pouco. Mais carinho
que amor… (corta – não quer
lembrar disso) Mas nem quero me
lembrar deste traste! O carinho que
eu tinha por ele acabou no dia que
ele foi preso.

Música marca. Reação de Alicia, que está surpresa.

ALICIA
Preso?!

Helena e Beth continuam conversando. A presença de Alicia ainda não foi notada.

BETH
Você nunca mais viu o Fernando?

HELENA
Eu só fui visitar ele na prisão
duas vezes. Não quero mais saber
dele. Chega de tanto sofrimento!

Alicia, enfim, aparece, interrompendo a conversa de Helena e Beth. Alicia está revoltada. Helena, desconcertada.

HELENA
Oi, filha! Você tava ai?

ALICIA
Mãe, eu ouvi o que você disse!
Quer dizer então que meu pai tá
preso? Por que você mentiu pra mim
esse tempo todo? Por que você
sempre me disse que meu pai tava morto?

Música marca. Close em Helena, desesperada.

CORTA.

FIM DESTE EPISÓDIO

CRÉDITOS FINAIS

Posted in Episódio 04 | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »