Amores Proibidos

Série – Texto em Roteiro

Archive for the ‘Episódio 07’ Category

EPISÓDIO 7 – TENTANDO ESQUECER

Posted by amoresproibidos em 24/04/2009

AMORES PROIBIDOS

CENA 01 – CALÇADÃO DE COPA – EXTERIOR – NOITE

Música de suspense. Fernando está sentado numa das mesas de um quiosque, tomando um ‘drink’. Parece impaciente, olha sempre no relógio quando de repente, chega Antonio. Música diminui.

FERNANDO (irônico)
Ora, ora! Até que enfim! Pensei
que eu ficar aqui mais uma hora
te esperando…

ANTONIO (revoltado)
O que você quer, seu miserável?

FERNANDO
Calma, Antonio! Relaxa! Você ta
muito nervoso! Senta! Quer uma
bebida? (p/ garçom) Garçom, traz
um desse aqui pro meu amigo!

ANTONIO
Miserável!

FERNANDO (direto)
Senta!

Antonio se senta, muito contrariado. Fernando aparenta uma calma e dá um tom de ironia ao que diz.

ANTONIO
O que você quer?

O Garçom traz a bebida para Antonio, que a ignora. Está muito nervoso.

FERNANDO (irônico)
Não vai beber? Tá uma delicia!

ANTONIO (nervoso)
O que você quer? Não vou
perguntar de novo!

FERNANDO
Tá bom, vou dizer. É muito
simples. Você sabe o porquê eu to
aqui falando com você hoje?
Porque eu to livre! Eu cumpri a
pena, cara! Dezoito anos! (numa
falsa alegria) Cumpri um a um…
Você tem noção disso? Não! Claro
que não! Duvido que saiba! O que
são dezoito anos pra quem tá aqui
fora? Mas pra mim, durou uma
eternidade…

ANTONIO
O que eu tenho a ver com isso?
Você pagou por um crime que você
cometeu! Você fez por onde!

FERNANDO
Perae! Já vai me julgar? (muda o
tom, falando sério, sem ironia)
Eu cumpri a pena, sim! Mas só
quero te dizer que agora eu vou
reconstruir a minha vida. E isso
significa que eu vou destruir a tua!

ANTONIO
Como assim?

FERNANDO
Antonio, cá entre nós, não tem
ninguém ouvindo… Você vai
continuar negando?

ANTONIO
Do que você ta falando?

FERNANDO
Somos adultos, tá legal? Podemos
conversar de homem pra homem!
Você já pode me confessar a verdade!

ANTONIO
Que verdade? Você tá louco!

FERNANDO
Eu to louco? Antonio, olha pra
mim! Você sabe muito bem quem foi
que matou aquela mulher! Chega de
mentira! Chegou à hora de todo
mundo conhecer a verdade!

ANTONIO
Você tá maluco! Não ta dizendo
coisa com coisa…

FERNANDO
Ah, não? Antonio, você é um
assassino! Você sabe muito bem
que foi você quem entrou naquele
quarto naquele dia, há dezoito
anos atrás… Você sabe que eu to
falando a verdade! Ou você acha
que eu deixaria isso barato? Você
me deixou mofar na prisão por um
crime que eu não cometi!

ANTONIO
Agora estamos falando português
claro! Então você me procura pra
me acusar? É isso? (ri) Isso é
ridículo! Não vê que teu papel ta
ridículo? Onde já se viu isso?
Você tá livre agora! Some! Vai
viver tua vida! Esquece que eu
existo! Agora vai querer ficar me
culpando pelo que você fez?
Francamente!

FERNANDO (muito alterado, mas falando baixo)
Você sabe que não fui eu! Eu vou
te desmascarar, Antonio! Todo
mundo vai saber o monstro que
você é. Eu vou provar a minha
inocência! E eu vô te colocar
atrás das grades, que era pra
onde você deveria ter ido há
muito tempo!

ANTONIO
Some da minha vida, Fernando! Pro
seu próprio bem… Some! Essa
história não vai dar em nada.
Quem vai acreditar em você? Um
pobre coitado, um ex-presidiário!
(com desprezo) Um merda! É isso
que você é! Não vai provar nada!
Nada! Até porque não há provas!
Porque eu não fiz nada!

FERNANDO
Nem que seja a ultima coisa que
eu faça em vida… eu vou provar
a minha inocência! E vou mostrar
pra todo mundo quem você é de
verdade! Porque um dia as
máscaras caem… E chegou a tua
hora!

Antonio fica muito nervoso e pega na gola da camisa de Fernando.

ANTONIO
Escuta aqui! Não cruza o meu
caminho! Senão eu acabo com você!
Tá ouvindo? Eu acabo com você!

FERNANDO
Vai fazer o que? Vai me matar? É
isso? Mata! Pode matar! Ou vai me
matar e incriminar alguém, como
você já fez comigo?

Antonio, pensativo, larga Fernando, que o encara por alguns instantes e se levanta. Fernando volta a aparentar calma.

FERNANDO
Já vou indo. Essa foi só a nossa
primeira conversa. De muitas.

Antonio encara Fernando, com cara de ódio.
Música de tensão marcando ao fundo.

FERNANDO
Ah! E eu preciso de grana. To sem
um tostão!

ANTONIO
Problema é seu! Se vira!

FERNANDO
Antonio, não faça isso com um
amigo seu! Dinheiro pra você não
é problema que eu sei… Você vai
começar a colaborar comigo.
Direitinho. Senão, entro na
justiça, faço da sua vida um
inferno! Te acuso e vai ser um
escândalo! Vai perder clientes e
dinheiro! E eu sei que dinheiro é
a coisa que você mais preza nessa vida…

ANTONIO (contrariado)
Quanto você quer?

FERNANDO
Neste momento… fico feliz com 5
mil reais.

ANTONIO (surpreso)
5 mil?

FERNANDO
5 mil. Agora. Não é muito pra
você! Não faça drama!

ANTONIO
Mas eu não tenho esse dinheiro
todo aqui agora!

FERNANDO
Tem! Tem sim! Abre a carteira e
me mostra! Eu sei que tem!

ANTONIO
Não tenho! Já falei que não
tenho! Você acha que eu ando com
essa quantia de dinheiro na
carteira?! Te dou um cheque! 5
mil! E você cala a boca e some!
Ouviu bem? Você tem que sumir!

FERNANDO
Me da o cheque!

Antonio pega um talão de cheque do bolso e preenche um cheque rapidamente com o valor de 5 mil e o entrega para Fernando. Antonio está muito contrariado. Fernando lê o cheque e dá um sorriso.

FERNANDO
Muito bom! Já estamos nos
entendendo… To indo embora! Mas
eu volto! Já sei onde você mora!
Até logo! Eu volto, hein? Pra
tratarmos de negócios… Ah! E
paga as bebidas!

Fernando vai embora. Antonio está furioso e golpeia a mesa com a mão direita.

ANTONIO
Desgraçado!

Antonio continua no bar, bebendo, pensativo. Está muito nervoso.
Música marca.

Corta para:

CENA 02 – APTO. DE GABRIEL – QUARTO DE GABRIEL – INTERIOR – NOITE

Música [All we are – One Republic]

Gabriel entra com lágrimas nos olhos, mas relutando consigo mesmo para não chorar. Limpa as lágrimas que insistem em cair. Está nervoso. Senta-se na cama e se lembra de uma parte da última discussão com Pedro.

FLASHBACK DA CENA 20 DO EPISÓDIO 06:

PEDRO
Gabriel, você precisa se afastar
de mim! Eu preciso tentar!

GABRIEL
Me afastar? Mas é impossível! A
gente mora lado a lado…

PEDRO
Você sabe do que eu to falando!
Vamos acabar com isso! Agora! Pra
sempre! Vamos apagar essa
historia da nossa mente!

Gabriel desvia o olhar de Pedro.

PEDRO
Olha pra mim! Não aconteceu nada
entre a gente! Nunca! Nunca
aconteceu nada! Ouviu bem? Você
vive a sua vida e eu vivo a
minha! Como era antes da gente se
conhecer.

FIM DESTE FLASHBACK.

Música diminui. Gabriel, com olhos vermelhos, chora e leva as mãos ao rosto.

GABRIEL
Eu não devia tá gostando assim…
O que tá acontecendo comigo?

Gabriel levanta e vai até um espelho grande que há em seu quarto. Fica olhando a sua imagem no espelho, enquanto enxuga as lágrimas com fúria.

GABRIEL
Não vou aqui sofrendo por ele.
Nem por ele nem por ninguém.

Gabriel pega seu celular e disca. Está um pouco mais calmo e com outro ânimo.

GABRIEL
Alo! Bruno? Vamos sair hoje? Me
leva pra aquela boate que você
tinha comentado! Hoje to afim de
me divertir! (escuta) Tá bom. Te
encontro lá! Valeu! (desliga)

No que Gabriel desliga o celular, corta imediatamente para:

CENA 03 – APTO. DE BRUNO – QUARTO DE BRUNO – INTERIOR – NOITE

Bruno desliga a ligação no celular e Denise (sua mãe) entra no quarto.

DENISE
Bruno, vai jantar agora?

BRUNO
Não, mãe! Vou sair! (irritado)
Aliás, se bate na porta antes de
entrar!

DENISE
Ih, calma! Desculpa! Errei! Não
faço mais!

BRUNO
Você fala isso sempre!

DENISE
Mas não sei o tanto que você
fecha essa porta desse quarto!
Não sei, parece que tem algum segredo!

BRUNO (sem paciência)
Não se trata disso, mãe! A
questão é que se eu tenho um
quarto eu devo ter privacidade
nele, né? Ou não? Acho que eu
posso fechar a porta à hora que
eu bem entender!

DENISE
Tá, tá bom. Não precisa se irritar!

BRUNO
Eu não to irritado, mãe!(mais
calmo) Meu pai já chegou do trabalho?

DENISE
Já sim! Pensei que íamos jantar
todos juntos, como uma família de
verdade, né? Mas você ultimamente
quase não tem parado em casa! Já
vai sair hoje de novo…

BRUNO
Dona Denise, não começa, tá?! Dá
um tempo hein?

DENISE
Eu falo porque me preocupo com
você, meu filho.

Denise se aproxima de Bruno, o beija na testa e fica olhando para ele, segurando o seu rosto. É uma mãe apaixonada pelo filho. Bruno se sente desconfortável com o jeito que Denise o trata.

BRUNO
Eu sei que você se preocupa. Só
precisa se preocupar menos. Não
sou mais criança…

DENISE
Eu sei que não. Mas eu te amo
muito. Não sei o que seria de mim
se algo acontecesse a você…

BRUNO
Também te amo, mãe. (sorri) Mas
eu tenho que tomar banho pra sair.

DENISE
Tá bom. E eu aqui te
atrapalhando! Vou lá!

Denise sai.

Musica [One of the boys – Katy Perry]

Bruno abre o guarda-roupa e fica escolhendo a roupa que usará.

Corta para:

CENA 04 – APTO. DE PEDRO – QUARTO DE LENITA – INTERIOR – NOITE

Pedro sai do banheiro enrolado na toalha, meio abalado e se surpreende com Lenita, que está sentada, na cama.

PEDRO
Lenita? Não sabia que você tava
aqui. Na hora que eu entrei você
não tava…

LENITA
Pedro, você tá bem?

PEDRO
Tá tudo ótimo. Pára de se
preocupar comigo sempre! Tudo vai
ficar bem agora. A gente vai ser
muito feliz aqui.

LENITA
Espero. É a coisa que eu mais
quero nessa vida.

Pedro se aproxima e beija Lenita. Ela cai na cama e ele por cima.

PEDRO
Nunca mais duvide do meu amor por
você! Eu te amo, Lenita! Te amo!

Lenita se alegra ao ouvir isso, fica sorridente e beija Pedro.

LENITA
Eu também te amo, meu amor. Como
eu queria ouvir isso de você!

Música [Devil wouldn’t recognize you – Madanna]

Vão se beijando. Pedro tira a blusa de Lenita e continuam se beijando, muitos “amassos”, beijos no pescoço também. Em câmera lenta, Lenita vai tirando a roupa, peça por peça e Pedro tira a toalha, ficando os dois nus. Amam-se, mas agora há o romantismo que não houve antes.

Tela escurece. Corta para:

CENA 05 – APTO. DE GABRIEL – SALA – INTERIOR – NOITE

Antonio chega da rua, visivelmente abalado. Maria vem do quarto, preocupada.

MARIA
Ai, meu Deus! Que bom que você
voltou logo! E então? O que ele queria?

ANTONIO
Você não vai acreditar!

MARIA
Fala, Antonio! Não me
deixa mais nervosa!

ANTONIO
Ele… teve a coragem, a cara de
pau. Ele me acusa! Acredita?

MARIA
Como assim, Antonio? Te acusa de que?

ANTONIO
Ele me acusa de assassino! Ele
falou que vai provar a inocência
dele e que vai me colocar na
cadeia!

Maria, chocada. Música marca.

MARIA
Meu Deus! Assassinato! Isso é
muito sério!

ANTONIO
Ele vai infernizar a nossa vida,
Maria. Se prepara!

Neste momento, Gabriel aparece, pronto para sair, intrometendo-se na conversa.

GABRIEL
Quem, pai, que vai infernizar a
nossa vida?

Antonio e Maria se entreolham. Close em Gabriel, que espera uma resposta.

CENA 06 – APTO. DE GABRIEL – SALA – INTERIOR – NOITE

Gabriel, surpreso com a reação de Maria e Antonio.

GABRIEL
Que foi, gente? Vocês tão com
umas caras de preocupados! Quem
vai infernizar a nossa vida que
vocês tavam falando aí?
Antonio tenta disfarçar.

ANTONIO
Ah, filho! Não é nada, fica
tranquilo! (numa falsa calma) A
gente só ta falando de um…
menino de rua que toda vez que a
gente passa, ele pede dinheiro.
Eu e tua mãe sempre damos algum a
ele, mas ele já se acostumou e aí
sabe como é, né? Agora toda vez
que nos ver vai vir pedindo
dinheiro… era isso que
estávamos comentando… que ele
vai infernizar a nossa vida.
Claro que infernizar é modo de
dizer… Imagina se vamos negar
esmola a alguém! (sorri um pouco)
Só isso! Né, Maria?

MARIA
Isso, filho. Isso mesmo.

GABRIEL
Ah ta! Que susto agora! Pensei
que era algo mais serio! Enfim,
to de saída, só volto amanha de
manha, tá?

MARIA
Tudo bem, meu filho. Vai com Deus!

GABRIEL
Tchau, mãe! (a beija no rosto)
Tchau, pai!

MARIA
Tchau!

ANTONIO
Tchau!

Gabriel sai e Maria e Antonio expressam a verdadeira preocupação que sentem.

ANTONIO
Não quero que o Gabriel saiba
dessa historia! Ouviu, Maria? Ele
não pode saber!

MARIA
Claro. Também acho que não. Mas
ele não é mais criança, Antonio.
Se estamos com problemas, ele
merece saber.

ANTONIO
Tá, entendo. Mas isso não é minha
maior preocupação no momento. O
problema é que o Fernando tá
solto e que, como eu tava te
dizendo, ele vai fazer tudo pra
me destruir!

MARIA
Mas o que ele pode fazer de
concreto pra te afetar?

ANTONIO
Se ele entrar na justiça, talvez
não dê em nada, porque não há
provas de que eu matei aquela
mulher… E eu não matei ninguém!
Pelo amor de Deus! O meu medo é
que de qualquer forma, essa
especulação possa repercutir mal
sobre os nossos negócios,
entende?

MARIA
Claro, claro. Seria horrível!

ANTONIO
E eu que achava que ele ia sair
da cadeia e viver a vida dele,
normal… como qualquer um faria.
Mas não… ele sempre foi
invejoso. Sempre quis ter o que
eu tinha. Agora, acha que eu deva
assumir a culpa pelo o que
aconteceu…

MARIA
Mas Antonio, na época do crime,
ele também te acusou, lembra?
(pensativa) Agora lembro
vagamente, de que ele desde que
foi preso fala nisso. Que você é
o culpado.

ANTONIO
E dai? Não é porque ele fala que
é verdade! Ele tá mentindo! Por
que você tá falando isso?

MARIA
Nada. Só to lembrando. Ele
insiste nessa história há muito
tempo…

ANTONIO
Você tá duvidando de mim, Maria?

MARIA
Não, Antonio! Claro que não!
Claro que eu não duvido de você!
Que ideia! Só to lembrando de
algumas coisas… (pausa) Mas e
aí? Foi só isso que ele falou? Só
te acusou?

ANTONIO
E você acha pouco? (grita como um
louco) Eu podia ter acabado com
isso logo! Ter dado um tiro nele!
Mas não consigo! Não consigo,
Maria! Não consigo matar o homem
que fala na minha cara que vai
destruir a minha vida! Sabe por
que? Porque eu sou um fraco! Um
frouxo! Não consigo matar
ninguém! Como que eu sou
assassino se eu não consigo matar
ninguém? Me diz, Maria! Como?

MARIA
Calma, Antonio! Calma! Você não
matou ninguém! Deixa ele te
acusar. Vamos ver até onde ele
vai com essa história. Vai ser a
palavra dele contra a sua. Não há
provas. Já, já ele desiste dessa
ideia absurda. Ele deve ta atrás
de dinheiro. Quer te chantagear,
te extorquir! Mas não vamos
deixar que isso aconteça! Não
aceite isso!

ANTONIO (desanimado)
Já aceitei.

MARIA (surpresa)
Você o que?

ANTONIO
Ele me pediu 5 mil reais. Dei um cheque.

MARIA (nervosa)
Você não devia ter feito isso,
Antonio! Tá entrando no jogo
dele! Não dê mais nenhum dinheiro
a ele! Ele pode usar esse cheque
como prova de que você tá
tentando comprar o silencio dele,
ou sei lá… eu não entendo muito
dessas coisas, mas acho que você
não deve ceder! Processa ele!
Danos morais! Acusação sem
fundamento! Tira dele tudo o que
ele tem! Pra ele aprender a não
brincar mais com a vida dos
outros!

ANTONIO
Acho que você esqueceu com quem
estamos lidando. O Fernando não é
flor que se cheire. É perigoso.
Muito perigoso.

MARIA
Mais um motivo pra você não
ceder. E vê se joga fora essa
arma, antes que você faça uma
besteira! (o encara) Não podemos
ter medo dele. Temos que
enfrentar tudo isso!

Maria se aproxima de Antonio, segurando o rosto dele. Antonio está confuso, inseguro sobre o que vai acontecer. Maria está determinada.

MARIA
Estamos juntos nessa! Eu to do
seu lado pro que você precisar. Sempre!

ANTONIO
Eu sei, meu amor! Sei que eu
sempre posso contar com você.

Antonio beija Maria e a abraça. Ficam abraçados, Antonio com olhar distante, de preocupação.

Corta para:

CENA 07 – APTO. DE EDU – QUARTO – INTERIOR – NOITE

Edu e Letícia estão na cama, abraçados, nus. Acabaram de transar.

EDU
E ai? Ta animada pra amanha?

LETICIA
E como não estar? É a nossa festa
de noivado. Tá bom que é só pros
íntimos, mas do jeito que minha
mãe é… vai ser algo mais
grandioso, pode apostar.

EDU
Será? Ah, mas é bom! Mostrar ao
mundo o quanto somos felizes!

LETICIA
Claro. Você me faz ser a mulher
mais feliz do mundo. Sabe o que
eu mais quero?

EDU
O que?

LETICIA
Um filho.

EDU (surpreso)
Filho? Ta falando sério?

LETICIA
Serio! Por que taria brincando?
(sorri) É serio! Eu quero um
filho sim! Quero dois, um casal,
tá de bom tamanho.

Edu começa a beijar Letícia. Vai beijando enquanto vai falando com ela, no ouvido, bem provocante.

EDU
Então, já que tamos falando de
filho… Por que não fazemos o
nosso agora mesmo?

LETICIA
Só depois do casamento. (sorri)
Nossa, mas você hoje tá que tá,
hein? Esse fôlego não acaba, não?

EDU
Com você, não tem como acabar.

Música [Anjo – Banda Eva e Daniela Mercury]

Letícia sorri e eles se beijam e começam com os “amassos”.

Corta para:

CENA 08 – RIO DE JANEIRO – EXTERIOR – NOITE

A mesma música. Tomada aérea da cidade iluminada.

CENA 09 – RUA/PORTA DA BOATE – EXTERIOR – NOITE

Gabriel estaciona o carro, sai dele e procura por Bruno, na porta da boate. Há alguns caras na porta, conversando e bebendo. Como Gabriel não vê Bruno, fica parado esperando por ele. Olha no relógio, preocupado.

GABRIEL
Cheguei na hora certa. Será que
ele não vem?

Gabriel continua olhando em todas as direções para ver se encontra Bruno, quando percebe que um cara o está olhando. Gabriel também o encara e dá um sorriso. Ele retribui o sorriso, mas chega outro cara perto dele, fala algo com ele e eles entram juntos na boate. Nisso, chega Bruno.

BRUNO
Fala aí, cara! Foi mal. Me
atrasei um pouco. Tive que
jantar. Minha mãe ficou me
perturbando.

GABRIEL
Tá tudo bem, Bruno.

BRUNO
E como é que você tá? E você e o
tal Pedro?

GABRIEL
Ih, longa história! Vamo entrar
que eu te conto!

Corta para:

Anúncios

Posted in Episódio 07 | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »

continuação: EPISÓDIO 7 – TENTANDO ESQUECER

Posted by amoresproibidos em 24/04/2009

CENA 10 – BOATE – INTERIOR – NOITE

Música eletrônica.

Boate super decorada, telões em várias partes. Muitos homens bonitos e algumas mulheres também. Todos dançando, loucamente, muitos com alguma bebida na mão. Tomada geral da boate. Bruno e Gabriel entram. Gabriel olha para tudo, meio admirado.

GABRIEL
É bonito aqui!

BRUNO
É sim! Mas vem! Vamos pegar
cerveja!

Bruno e Gabriel vão em direção ao balcão onde pagam e pegam a cerveja. Há uns banquinhos ali, e eles se sentam.

BRUNO (p/ barman)
Me vê duas cervejas aí!

O Barman entrega as duas cervejas e eles vão bebendo enquanto conversam. A música diminui, mas não pára de tocar nunca e vai mudando de vez em quando.

BRUNO
Mas fala. Que tá pegando? Você
parece meio triste…

GABRIEL
É, cara. Só um pouco. A parada do
Pedro é muito complicada. Nem deu
tempo de eu te contar… A gente
se beijou.

BRUNO (surpreso)
O que? Mentira!

GABRIEL
Sério!

BRUNO
Onde foi isso? Conta tudo!

GABRIEL
Então, eu fui a casa dele com
meu pai, minha mãe e minha irmã
pra visitarmos o filho dele, que
tinha sofrido um acidente. Mas
acabou que eu fiquei na sala
vendo umas fotos… e quando eu
decidi ir pro quarto do John, vi
que a porta do quarto dele tava
aberta, mas eu não sabia que ele
tava lá. Eu entrei e ele tava
saindo do banho, enrolado na
toalha…

BRUNO
Enrolado na toalha? Gente, que
perigo!

GABRIEL
Um perigo mesmo! Rolou, sabe? A
gente tava ali, os dois
sozinhos… Aí a gente se beijou.
Mas ele ficou cheio de culpa
depois, porque nunca beijou outro
cara, enfim… Aquelas neuras!
Hoje ele me chamou pra conversar
e disse pra eu esquecer tudo o
que aconteceu. Tudo bem, eu ate
esqueceria, mas acontece que eu
não consigo! Não consigo ver o
Pedro como o amigo do meu pai. Eu
vejo um homem… que eu quero
ter! (desanima) Mas que eu não
vou ter… Porque ele quer salvar
o casamento dele. (pensativo) Que
seja feliz, então…

BRUNO
Ei, amigo! Vai desanimar assim
tão fácil? Se você quer o cara,
corre atrás, faz alguma coisa!

GABRIEL
Não vou fazer nada, Bruno. O que
eu posso fazer? Ficar me
humilhando? Ele já falou que não
quer mais nada! Além do mais, o
cara sempre gostou de mulher a
vida dele toda! Ele é muito
complicado! O melhor é esquecer
mesmo. Eu vou tentar. O pior é
que eu gosto dele, cara. Tu
entende isso? Com tantos caras
pra eu arranjar e gostar, fui
gostar logo de um cara casado!
Fala sério! Eu me revolto comigo
mesmo! Mas é por isso que eu to
aqui, sabe? Não quero ficar
sofrendo, não! Eu quero mais é
curtir! Só assim vou esquecer!

BRUNO
Você tá certo. Homem é que nem
biscoito. Vai um, vem oito.

GABRIEL (sorri)
Pode crer.

BRUNO
Vamo dançar?

GABRIEL
Vamo!

Gabriel e Bruno se levantam, quando aquele cara que estava olhando Gabriel passa por eles e ao encarar Gabriel, dá uma piscada com um dos olhos. Ele para no balcão e pede uma cerveja. Bruno percebe e comenta baixo com Gabriel.

BRUNO
Olha só o cara te dando mole! Tá
vendo? Homem é que não falta pra você!

GABRIEL
Ele tava me olhando lá na porta,
antes de você chegar. Lindo, né? Parece um modelo.

O cara pega a cerveja e bebe, olhando para Gabriel, com um leve sorriso no canto da boca. Gabriel, mais afastado com Bruno, também olhando.

BRUNO
Vai lá, pô!

GABRIEL (tímido)
Não sei. Acha que eu devo?

BRUNO
Ah, qual foi, Gabriel? Vai bancar
o tímido agora pra cima de mim?
Claro que você deve ir. O cara tá
te comendo com os olhos. Vai lá!

Gabriel vai em direção ao balcão e fica ao lado do cara, mas pede uma bebida ao barman. (O tal cara se chama Henrique).

GABRIEL
Me vê uma cerveja!

O barman entrega a cerveja e Gabriel se vira para Henrique, que abre um sorriso.

HENRIQUE
Pensei que você não ia vir falar comigo.

GABRIEL
É que eu pensei que você falaria
comigo antes.

HENRIQUE
Qual o seu nome? Você é lindo,
cara! Já tinha te visto desde a
entrada.

GABRIEL
Que isso, cara! Que lindo o que?
(sorri) Meu nome é Gabriel. Eu
também já tinha te visto. Mas
você não tava com alguém?

HENRIQUE
Meu amigo. Tá lá na pista dançando.

GABRIEL
Ah tá.

HENRIQUE
E aquele que tá com você?

GABRIEL
Amigo também.

HENRIQUE
Que bom, Gabriel! Estamos livres
um pro outro.

GABRIEL
Verdade. (o encara) Você me chama
de lindo mas você que é… você
parece um modelo, tava até
comentando com meu amigo.

HENRIQUE
Pareço modelo? (sorri) Todo mundo
diz isso! Mas o pior é que eu sou
modelo realmente.

GABRIEL
Ah, pára! Ta brincando?

HENRIQUE
Serio! Sou modelo fotográfico e
também desfilo. Mas prefiro fazer
fotos.

GABRIEL
Tá explicado então!

Gabriel e Henrique ficam se encarando por alguns
instantes. O assunto acabou e reina um silencio entre os
dois. Henrique toma a iniciativa e beija Gabriel.

GABRIEL
E você não me disse o seu nome…

HENRIQUE
Muito prazer, Henrique…

Se beijam novamente.

GABRIEL
Vamo dançar um pouco?

HENRIQUE
Claro. Vamos sim!

Gabriel e Henrique vão em direção à pista de dança, onde encontram Bruno. Música sobe. Gabriel apresenta Henrique a Bruno e eles dançam. Bruno dança um pouco mais afastado, enquanto que Gabriel e Henrique dançam juntos. Dançam e se encaram todo o tempo. Ficamos com eles por 1 min. aprox. Beijam-se.

Corte de continuidade. Numa parte mais reservada da boate, Henrique e Gabriel se beijam e se amassam freneticamente. Henrique está sem camisa e está encostado na parede e Gabriel o beija na boca, no pescoço, enquanto Henrique delira de prazer. Muitos sussurros e respiração de ambos ofegante. E a música sempre ao fundo.

HENRIQUE
Vamos pra minha casa?

GABRIEL
Não sei. Melhor não.

HENRIQUE
Que que tem? Vamos!

GABRIEL (pensa um pouco)
Ta bom, eu vou…

Beijam-se mais. Música sobe.

Corta para:

CENA 11 – STOCK SHOT – EXTERIOR – NOITE/DIA

A mesma música. Amanhecer no Rio de Janeiro.

CENA 12 – PISCINA DO CONDOMINIO COPA – EXTERIOR – DIA

Está um dia lindo de sol. Essa área do condomínio tem uma piscina grande, uma churrasqueira e algumas mesas e cadeiras em torno da piscina. Há algumas crianças na piscina. Antonio está perto da churrasqueira, falando com o Churrasqueiro. Já há alguns vizinhos sentados, e música ao fundo. Uma festinha bem animada, mas algo informal.

ANTONIO
Oh, vai servindo o pessoal que
for chegando, tá? Minha filha já
ta descendo!

CHURRASQUEIRO
Sim, senhor.

Pedro, Lenita e John chegam e vão falar com Antonio.

PEDRO
Oi, meu amigo! Tá tudo bem por
aí? Ta precisando de ajuda com o
churrasco?

ANTONIO
Nada! Contratei um churrasqueiro
ótimo. O cara é fera. Sempre faz
os churrascos daqui de casa.
Fiquem a vontade!

LENITA
Brigada, Antonio!

ANTONIO
E ai, John? Como que você tá?

JOHN
To melhor. Já to andando sem
muleta. (rindo) To pronto pra outra!

LENITA
Nem brinca com isso! (sorri) Nós
vamos sentar.

ANTONIO
Claro, claro. À vontade.

JOHN
E a noiva? Onde tá?

ANTONIO
Ta descendo já. E o Edu também já
tá chegando.

Lenita e John sentam-se numa mesa. Pedro fica com Antonio, olhando a piscina.

PEDRO
As crianças já caíram dentro, né?

ANTONIO
Pois é. Criança é bom por causa
disso. Nada preocupa elas.
(observando elas) Mas e você? Não
vai cair na piscina não? Mais
tarde você vai ver, a maioria vai
entrar… Adulto quando bebe
perde a timidez.

PEDRO
Verdade. E… (pausa) o Gabriel?
Não vem?

ANTONIO
Deve chegar depois. Ele saiu
ontem, chegou hoje cedo. Ainda
deve tá dormindo.

PEDRO
Ah tá.

ANTONIO
Mas aí me conta. O que você tá
achando do Rio?

Pedro começa a contar para Antonio, mas não ouvimos.

Música sobe. Corta para:

CENA 13 – APTO. DE GABRIEL – QUARTO DE LETICIA – INTERIOR – DIA

Letícia na frente do espelho, somente de biquíni, e um monte de roupa na cama.

LETICIA
Ai, não sei se esse tá bom!

Maria entra no quarto.

MARIA
Vambora, minha filha! A festa já
começou. Já chegaram alguns
convidados. Até o churrasqueiro
já tá lá. E você ainda aí,
escolhendo biquíni!

LETICIA
Mas o Edu não chegou ainda! Ah,
mãe! Tenho que ta linda, né! Não
posso usar qualquer coisa! Aliás,
to achando que nem vou de
biquíni… olha o meu corpo!

MARIA
Minha filha, o que tem o seu
corpo, pelo amor de Deus? Você é
linda! Muitas mulheres gostariam
de ter o corpo que você tem!

LETICIA
Duvido. Gorda desse jeito!

MARIA
Letícia, pára de fazer drama!
Veste logo a roupa! E esse
biquíni tá ótimo, todos vão olhar
pra você! Agora se arruma logo!

LETICIA
Tá bom, mãe! Dois minutos. Me dá
dois minutos?

MARIA (ri)
Você tá falando isso há 35
minutos! Anda logo, Letícia!

Gabriel entra no quarto e vê Letícia.

GABRIEL
Que isso, hein, irmãzinha? Tá
linda demais. O Edu que não cuide
não, pra ele ver…

LETICIA
Brigada, Gabriel. Você sempre me
ilude. E eu acredito!

MARIA (p/ Gabriel)
Não conversa com ela que ela vai
demorar ainda mais.

Letícia sai da frente do espelho e vai se vestindo, enquanto Gabriel fala com Maria.

GABRIEL
Mãe, eu chamei uns amigos meus,
tá? O Cristian, a Ju, a Alicia e o Bruno.

MARIA
Tudo bem, Gabriel. Sem problemas.
Não precisava nem avisar, né!
Parece até que não me conhece!

GABRIEL
Você é a melhor mãe do mundo, sabia?

Gabriel abraça Maria e a beija no rosto.

MARIA
E você é o melhor filho do mundo.
Eu te amo! Muito!

Continuam abraçados. Maria beija Gabriel no rosto.

LETICIA
E eu? Não existo?

MARIA
Claro, minha filha. o Gabriel é o
melhor filho do mundo e você é a
melhor filha do mundo.

LETICIA
Sei… Me engana que eu gosto!

MARIA
Que garota desconfiada, meu Deus!
Já ta pronta? Acaba logo com isso!

Maria olha para Gabriel e vê uma marca roxa de chupão em seu pescoço.

MARIA
Gabriel, o que é isso aí no seu pescoço?

GABRIEL
No meu pescoço? Não sei!

Gabriel vai para frente do espelho e vê a marca em seu pescoço. Apavora-se. Passa a mão na marca.

GABRIEL
Não sei o que é isso…

Letícia já está pronta e se aproxima de Gabriel, que continua na frente do espelho, impressionado com a marca em seu pescoço.

LETICIA
Como você não sabe o que é isso?
Isso é um chupão, tá na cara!

MARIA (pensativa)
Um chupão… (p/ Gabriel) Você tá
namorando, Gabriel?

Gabriel sem graça, ainda com a mão no pescoço.

GABRIEL
Não. Não to não. Eu fiquei com
uma garota ontem, mas eu bebi
tanto… Deve ser por isso que
ela fez isso. Porque eu não
deixaria se eu tivesse bem! Como
eu vou sair agora com essa marca
no pescoço?

LETICIA
Ué! Mas e daí? Ninguém tem nada a
ver com a sua vida!

MARIA
E quem nunca levou um chupão na
vida? Não sejamos hipócritas! Já
fiz muito isso com seu pai quando
éramos mais novos!

Gabriel ri um pouco, ficando menos tenso.

LETICIA
Mãe, to pronta. Vamos descer?

MARIA
Vamos. Você vem agora, Gabriel?

GABRIEL
Daqui a pouco. Vou tomar um
banho, enquanto meus amigos não chegam.

MARIA
Tá bom. Só vê se não demora que
nem a sua irmã!

Maria e Lenita saem do quarto. Gabriel põe a mão no pescoço.

GABRIEL (revoltado)
Eu vou matar o Henrique!

Música marca. Corta para:

CENA 14 – PISCINA DO CONDOMINIO COPA – EXTERIOR – DIA

Música ao fundo. Alguns convidados vão chegando e Antonio os recepciona, encaminhando-os até as mesas. Edu chega e vai falar com Antonio. Pedro está numa mesa com Lenita e John.

EDU
E aí, seu Antonio! Cadê a Letícia?

ANTONIO
Tá descendo. Ta enrolando há mó
tempão já. To quase subindo lá
pra ver o que tá acontecendo.

Neste momento, chegam Maria e Letícia, as duas deslumbrantes.

ANTONIO
Já era hora!

Letícia e Edu se beijam. John os observa de longe.

EDU
Você tá maravilhosa! Linda é pouco!

LETICIA
Pára, Edu! Você que é um pedaço
de mau caminho!

Beijam-se novamente.

MARIA
Edu e Letícia, vamos cumprimentar
os convidados!

Maria, Edu e Letícia vão cumprimentar os convidados, enquanto Antonio senta-se na mesa que Pedro está. John continua olhando na direção que Letícia foi.

Corta para:

CENA 15 – APTO. DE GABRIEL – QUARTO DE GABRIEL – INTERIOR – DIA

Gabriel sai do banheiro que há em seu quarto, enrolado na toalha, quando toca seu celular. Gabriel o pega em cima da cama e vê o nome de Henrique no visor.

GABRIEL (surpreso)
Já tá me ligando?

Gabriel atende.

GABRIEL
Fala, Henrique!(escuta) Não sei
se vai dar pra gente se ver hoje,
tá tendo uma festa aqui, noivado
da minha irmã. Mas dependendo da
hora que acabar aqui, eu te ligo
pra gente fazer alguma coisa. Tá
legal? (escuta) Beleza. Ah! Eu
vou te matar quando eu te ver,
tá! (escuta) Por que? Você me
deixou um chupão enorme no
pescoço! Mas você me paga!
(provocativo) Pode deixar que
você me paga!

Tocam a campanhia. Gabriel ainda no celular.

GABRIEL
Cara, eu tenho que desligar
agora. Eu te ligo depois, tá bom?
Beijo, tchau. (desliga)

Gabriel vai para a sala atender a porta. Tocam a campanhia outra vez.

CENA 16 – APTO. DE GABRIEL – SALA – INTERIOR – DIA

Gabriel abre a porta e é Bruno.

GABRIEL
Oi, Bruno. Entra. Não tem ninguém.

Bruno entra.

BRUNO
Apartamento maneiro, hein?

GABRIEL
Também acho. Depois eu te mostro
todo ele, mas é que temos que
descer já. Meus amigos já devem
tá chegando. Só vou me arrumar
rapidinho. Ah! Sabe quem acabou
de me ligar?

BRUNO
O Pedro?

GABRIEL
Que Pedro! Esquece o Pedro! Aliás
ele vai tá lá embaixo. Você vai
conhecer ele. Mas não. To falando
do carinha que eu fiquei ontem. O Henrique.

BRUNO
Claro, o modelo gostosão, né?

GABRIEL
Ele mesmo. Me ligou agora. Quer
me ver mais tarde. Falei que vou
ver, não dei certeza, fiz uma
média. Mas é claro que eu vou né!
Não posso perder um cara desses!
Mas… (desanima) pra mim o mais
difícil, vai ser descer agora e
encarar o Pedro.

BRUNO
Você vai conseguir. Você é mais
forte do que pensa.

GABRIEL
Nem tanto…

BRUNO
Mas mudando de assunto, que
amigos você chamou? Eu conheço algum?

GABRIEL
Não. (lembra) Ah, sim! Um você
conhece. O Cristian. Aquele que
foi na chopada comigo.

BRUNO
Aquele teu amigo tudo de bom?

GABRIEL
Isso. Aquele meu amigo que eu já
falei que é hétero e que não
curte. Tira o cavalinho da chuva!
Até porque a namorada dele vai tá
aí também.

BRUNO
E daí que ele é hétero? Não posso
ter esperança? Gostei dele.
Queria conhecer ele melhor. Você
bem que podia me ajudar, né?

GABRIEL
Eu até te ajudaria, Bruno. Mas eu
não quero que você sofra como eu
to sofrendo agora… Não vai
cometer o mesmo erro que eu, né!
Vem! Vamos lá pro quarto que eu
vou acabar de me arrumar! Trouxe
sunga pra entrar na piscina?

BRUNO
Trouxe sim.

Bruno e Gabriel vão conversando, em direção ao quarto de Gabriel.

Corta para:

CENA 17 – PISCINA DO CONDOMINIO COPA – EXTERIOR – DIA

Música ao fundo [Single – NKOTB and Ne-yo]

Maria, Edu e Letícia chegam à mesa onde estão Lenita, Pedro, John e Antonio.

LETICIA
Ah! Vocês já são de casa! Brigada
por terem vindo!

LENITA
Nós é que agradecemos o convite.

PEDRO (p/ Edu)
Esse aqui é o John, meu filho.

Edu e John se cumprimentam com um aperto de mãos. Inicia-se uma conversa paralela entre eles. O que eles falam os outros não escutam porque estão falando sobre outros assuntos diversos.

EDU
Grande John! Como tu ta?

JOHN
To bem agora. Me recuperando.
(pausa – o observa) Você é um
cara de sorte, hein!

EDU
Sou? E por que?

JOHN
Porque vai casar com uma mulher
linda como a Letícia. Com todo
respeito, é claro!

EDU
Você tá certo. Tenho que admitir
que sou um homem de sorte.

JOHN
Pena que ela não tem uma irmã né,
cara! (ri)

EDU
Pois é. Irmã ela não tem…

JOHN
Quem sabe uma prima? To
precisando conhecer alguém, sabe?

EDU
To ligado. É só sair pô! Nessa
cidade, só fica sozinho quem
quer.

Letícia vem falar com John.

LETICIA
E ai, John! Tudo bem? (o beija no rosto)

JOHN
Tudo ótimo.

Letícia e John trocam olhares, mas Edu percebe e fecha um pouco a cara. Letícia fica sem graça.

LETICIA
Vocês tavam conversando?
Atrapalhei vocês!

EDU (sério – olhando p/ John)
Já acabamos de conversar.

Neste momento, chegam Alicia, Juliana e Cristian.

MARIA
Olha lá os amigos do Gabriel! Vou
falar com eles. Vem Letícia!

Maria, Letícia e Edu vão em direção a Alicia, Cristian e Juliana.

MARIA
Oi, gente! O Gabriel já tá vindo.
Fiquem à vontade. Querem beber
alguma coisa?

ALICIA
Não, brigada.

JULIANA
Eu aceito um pouco de água.

CRISTIAN
Eu não quero nada, brigado.

Gabriel e Bruno chegam.

MARIA
Falando nele… Olha ele aí.

GABRIEL
Foi mal a demora. Vocês chegaram
há muito tempo?

ALICIA
Que nada! Neste mesmo instante!
Gabriel cumprimenta Alicia e Juliana com um beijo no rosto
e Cristian com um aperto de mão.

GABRIEL
Deixa eu apresentar. Esse é meu
amigo, Bruno. Estuda comigo na facul.

ALICIA
Prazer.

JULIANA
Prazer.

CRISTIAN
Já nos conhecemos.

BRUNO
Isso. Da chopada.

CRISTIAN
Eu lembro.

GABRIEL (p/ Maria)
Essa é a minha mãe. Maria.
Bruno a cumprimenta com um beijo no rosto.

MARIA
Tudo bem, Bruno? Você é o
primeiro amigo da faculdade que
ele traz aqui. A casa é sua.

BRUNO
Brigado.

GABRIEL
E a todos vocês, eu apresento os
noivos, minha irmã, Letícia que
alguns já conhecem e o noivo,
Edu, meu cunhado chato.

EDU (p/ Gabriel)
Sou chato, mas você me adora, né.
Tanto adora que implica sempre comigo.

Todos se cumprimentam.

LETICIA
Alicia, você tá ótima! Nossa!

ALICIA
Brigada.

LETICIA
Depois vamos todos pra piscina hein!

ALICIA
Pode deixar. Já vim preparada pra isso.

GABRIEL
Mas por que depois? Vamos cair na
piscina agora!

CRISTIAN
Agora, cara?

GABRIEL
Por que não? A festa ta sendo
aqui por causa da piscina. A
gente pode ficar na piscina o
tempo todo, sair pra comer um
pouco e voltar.

LETICIA
Eu não vou agora não. Só depois.
Né, Edu?

EDU
Melhor depois. Mas vocês podem e
devem ir agora. As crianças já
tão lá se divertindo.

GABRIEL
Eu vou entrar neste momento.

Gabriel tira a camisa e a bermuda, as joga numa cadeira que tem ali perto e se joga na piscina. Dá um mergulho até o fundo da piscina.

GABRIEL
Tá ótima a água! Vocês não vão vir?

Alicia, Juliana, Cristian e Bruno se entreolham, sorrindo. Tiram as roupas e as põem numa cadeira, como Gabriel fez e vão até o chuveiro para poderem entrar na piscina. Na borda, ficam Maria, Edu e Letícia.

LETICIA
O Gabriel é louco, cara!

EDU
Ele puxou a você. Impulsivo. Faz
o que tem vontade. Ele que ta certo.

MARIA
Gente, eu vou voltar lá pra mesa
da Lenita e do Pedro. Com licença.

Maria sai. Alicia, Juliana e Cristian entram na piscina. Vemos do plano de visão de Edu e de Letícia.

EDU
Oh! To de olho nesse tal de John,
hein? Ele que não tente nada
contigo. Parto a cara dele!

LETICIA
Para de ser ciumento. Te amo!

Edu e Letícia se beijam.

Na mesa onde estão Pedro, Lenita, John e Antonio; Maria chega e encontra todos distraídos numa animada conversa.

MARIA
Gente, o Gabriel e os amigos dele
já entraram na piscina. Não quer
dar um mergulho, John?

JOHN
Agora não. Talvez mais tarde.

PEDRO
Eu vou dar um mergulho, então.

LENITA
Vai sim, meu amor.

Pedro tira a bermuda e a camisa e vai em direção ao tal chuveiro. Enquanto isso, dentro da piscina, Gabriel, Bruno, Cristian, Juliana e Alicia estão numa animada conversa.

GABRIEL
Fala serio! Não tinha brincadeira
melhor em piscina do que ver quem
aguentava ficar mais tempo
debaixo d’água sem respirar.

CRISTIAN
Pode crer, é verdade.

ALICIA
Já brinquei muito disso.

JULIANA
Eu também.

BRUNO
Pô, mas pro Gabriel nem vale, né!
Ele faz natação desde que nasceu,
lá na facul sempre faz o melhor tempo.

CRISTIAN
Mas eu consigo ganhar dele! Quer
apostar, Gabriel?

GABRIEL
Vamo ver então quem consegue.
Aposto uma latinha de cerveja que
eu ganho!

CRISTIAN
Apostado então. Valendo?

GABRIEL
Valendo.

ALICIA
Já!

Música sobe. Como se fossem crianças, todos mergulham prendendo a respiração. Aos poucos vão subindo um a um. Gabriel é o último que permanece debaixo d’água mas sobe, lentamente.

GABRIEL (quase sem fôlego)
Ganhei!

Neste momento, Gabriel dá de cara com Pedro, que está a sua frente. Seus amigos estão atrás dele, um pouco mais afastados. Gabriel e Pedro se encaram.

PEDRO
Você não vai falar comigo?

Close em Gabriel, que está desconcertado. Corta.

FIM DESTE EPISÓDIO

CRÉDITOS FINAIS

Posted in Episódio 07 | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »